VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 48

48. Quais são as características principais da Ventilação de Alta Frequência (HFV) comparadas com a Ventilação Mecânica Convencional (VMC)?

(A) HFV com volume de 0,5 a 2 ml/kg e frequências de 60 a 1 200 rpm. VMC com volume de 6 a 15 ml/kg com frequências de 60 a 1 200 rpm.

(B) HFV com volume de 1 a 3 ml/kg e frequências de 30 a 200 rpm. VMC com volume de 6 a 15 ml/kg com frequências de 16 a 20 rpm.

(C) HFV com volume de 1 a 3 ml/kg e frequências de 60 a 1 200 rpm. VMC com volume de 6 a 15 ml/kg com frequências de 16 a 20 rpm.

(D) HFV com volume de 6 a 15 ml/kg com frequências de 16 a 20 rpm. VMC com volume de 1 a 3 ml/kg e frequências de 60 a 1 200 rpm.

(E) HFV com volume de 6 a 15 ml/kg e frequências de 60 a 1 200 rpm. VMC com volume de 6 a 15 ml/kg com frequências de 16 a 20 rpm.

i48

Pessoal, não tenho lá muito conhecimento sobre fisio hospitalar e ventilação mecânica, mas o pouco que li sobre a HFV foi suficiente pra me convencer que a banca está correta. O trecho abaixo versa sobre HFV em RNs, mas de forma geral responde a questão.

VM convencional = Volume alto e frequência baixa.

VM alta frequência = Volume baixo e frequência, como o próprio nome diz, alta.

“Quando submetemos o RN à ventilação convencional, seja ciclado a volume ou a tempo limitado por pressão, vamos enviar o gás na frequência respiratória fisiológica (20-40 ipm). O volume corrente vai ser relativamente grande (6-8 ml/kg)”.

“Se usamos a ventilação de alta freqüência o gás é enviado a uma freqüência ressonante normal do RN (600-900/minuto: 10-15 Hz). Os volumes correntes são pequenos (1-3 ml/kg)”.

Referência: Site http://www.paulomargotto.com.br, acesso em 28 dez 2017.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

Anúncios

FCC – TRT 3 2009 – Questão 58

58. A ventilação não-invasiva NÃO está indicada em

(A) edema pulmonar cardiogênico.

(B) infarto agudo do miocárdio com instabilidade hemodinâmica grave.

(C) doença pulmonar obstrutiva crônica descompensada.

(D) auxílio no desmame da ventilação mecânica.

(E) profilaxia de intubação orotraqueal.

i58

A “B” é indicação para VMI.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

VUNESP – SOROCABA/SP 2010 – Questão 43

43. Com relação às secreções pulmonares, assinale a alternativa correta:

a) a nebulinização com solução salina isotônica não é importante para fluidificar as secreções já produzidas.

b) a nebulinização com solução salina isotônica não tem relevância científica na eliminação de secreções.

c) a nebulinização com solução salina isotônica é importante para fluidificar as secreções já produzidas.

d) a hidratação sistêmica em nada contribui para fluidificar as secreções.

e) a nebulização com solução salina somente auxilia no broncoespasmo.

Sal.jpg

Essa aqui errei.

Existe, até hoje, um conflito de evidências sobre o efeito das irrigações com solução salina sobre a frequência do batimento ciliar e o clearance mucocilliar.

A osmolaridade parece desempenhar um papel importante. Min et al. 2 mostraram que as soluções isotônicas e hipotônicas não resultaram em uma desaceleração ciliar na mucosa normal das conchas ou cornetos nasais, enquanto a ciliostase foi observada após alguns minutos em solução a 3,0% e 7,0%. Por outro lado, Talbot et al. 3 compararam in vivo o efeito da solução salina normal e hipertônica: a solução salina hipertônica foi mais eficaz em aumentar o clearance mucociliar (média de 3,1 minutos) quando comparada com a solução salina normal (média 0,14 minutos). Na verdade, há evidências de que a solução salina isotônica (0,9%) é a solução de irrigação mais fisiológica em termos de secreção de mucina e morfologia celular das células epiteliais nasais. Por outro lado, a água pura danifica bastante as células epiteliais nasais humanas, resultando em destruição da integridade célula a célula, e a solução salina a 3% promove uma esfoliação das células secretoras, sem efeito sobre os cílios.

Alternativa que assinalei na ocasião que realizei essa prova: C

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

VUNESP – São Paulo/SP 2002 – Questão 16

16. No caso de um paciente apresentar-se dispnéico e com cianose de extremidades e fadiga muscular, tendo como patologia de base uma doença obstrutiva crônica, deve-se

(A) fazer manobras de higiene brônquica.

(B) realizar ventilação mecânica não invasiva (VNI) para melhorar o quadro.

(C) orientar a entubação e ventilação mecânica invasiva controlada.

(D) fazer aspiração naso-traqueal.

(E) fazer drenagem postural.

medicina-dpoc-300

Questão sinuosa, mas simples.

Analisando as alternativas, reparamos que as alternativas “A”, “D” e “E” são condutas utilizadas para higiene brônquica. OK, mas onde está escrito no enunciado que há secreção? As três são incorretas, obviamente, até por conta do quadro dispneico que impediria tais condutas.

E o que dizer sobre a alternativa “C”. Correta? Incorreta? Como esse procedimento descrito é um procedimento médico, isso se torna irrelevante, pois não poderíamos realizá-lo. E para piorar, entubação e Ventilação Mecânica Invasiva para o quadro proposto é absurdamente errado.

Resta então a alternativa “B” como palatável e apetecível opção ao quadro clínico do enunciado. Sem querer me alongar mais, deixo minha sugestão de leitura para ventilação mecânica não-invasiva.

http://medsv1.einstein.br/diretrizes/terapia_intensiva/diretrizes-ventilacao-mecanica.pdf

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B