Protegido: VUNESP – IAMSP/PREVENIR 2011 – Questão 58

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Anúncios

VUNESP – IAMSP/PREVENIR 2011 – Questão 57

57. Robson, um menino de 7 anos de idade, sofreu uma lesão cerebral severa adquirida ao ser atropelado por um carro com uma velocidade de 50 km/h, enquanto andava de bicicleta sem capacete. Permaneceu na unidade de terapia intensiva pediátrica (UTIP) por 15 dias. A pressão intracraniana após a cirurgia permaneceu abaixo de 25 mmHg. Imediatamente após a estabilização de seu estado neurológico, foi iniciada a fisioterapia motora. Quais os objetivos da fisioterapia motora nesses 15 dias de permanência na UTIP?

I. Manter a amplitude de movimento articular.

II. Manter a elasticidade muscular e tecidos adjacentes.

III. Ganhar força muscular.

IV. Posicionar o paciente adequadamente, prevenindo complicações decorrentes de um mau posicionamento.

V. Ganhar equilíbrio estático e dinâmico.

Dos objetivos elencados, quais são apenas cruciais nessa fase de recuperação de Robson?

(A) I, II, III e IV.

(B) I, II, IV e V.

(C) II, III e V.

(D) II, III e IV.

(E) I, II e IV.

I57.gif

O principal objetivo nesse quadro inicial de internação é evitar perdas relativas ao período acamado. Portanto o ganho de força não é um objetivo viável, bem como o trabalho de equilíbrio, que serão condutas para fase ambulatorial ou até domiciliar.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

VUNESP – IAMSP/PREVENIR 2011 – Questão 46

46. Pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) possuem inabilidade de remover efetivamente o ar dos pulmões o que afeta a habilidade do sistema respiratório de transportar oxigênio para dentro dos pulmões. Por isso, comumente, encontram-se pacientes com DPOC em programas de reabilitação pulmonar. Quais objetivos descritos fazem parte do plano de tratamento da DPOC?

I. Aumentar a quantidade e a viscosidade das secreções e prevenir infecções respiratórias.

II. Remover ou prevenir o acúmulo de secreções.

III. Diminuir a quantidade e a viscosidade das secreções e prevenir infecções respiratórias.

IV. Estimular a musculatura acessória da inspiração para aumentar a dependência da respiração do tórax superior.

V. Melhorar a mobilidade do tórax inferior.

Está correto apenas o contido em

(A) I, II, IV e V.

(B) II, III, IV e V.

(C) I, II e V.

(D) II, III e IV.

(E) II, III e V.

i46

Afirmativa I errada, a III é a oposta e correta.

A afirmativa IV é incorreta, obviamente não se deve estimular o uso da musculatura acessória da inspiração, o que significaria diminuir a atividade do diafragma.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

FCC – TRT 3 2009 – Questão 57

57. Quanto à avaliação dos músculos respiratórios, é correto afirmar:

(A) O aumento da atividade dos músculos da respiração é um sinal clínico que está associado ao aumento da carga respiratória e é um indicador específico da fadiga muscular.

(B) O desempenho dos músculos da respiração é avaliado por meio da sua capacidade de resistir à fadiga.

(C) As pressões geradas no sistema respiratório dependem das forças geradas durante a contração muscular e das propriedades elásticas do pulmão.

(D) A fraqueza da musculatura respiratória causa diminuição dos volumes pulmonares, o que é motivado pelo aumento da resistência das vias aéreas.

(E) A pressão transdiafragmática é considerada o padrão ouro para avaliação da força muscular do diafragma e é muito utilizada na prática clínica.

i57

Essa é complicada.

Na “A”, nem sempre. A conclusão é falsa pois podemos ter aumento da atividade dos músculos respiratórios sem ter fadiga muscular.

Na “B”, enfim, talvez um aspecto ou outro possa ser avaliado como capacidade de resistir à fadiga. Mas é como aplicar os mesmos critérios para desempenho muscular de músculos de força, o que não é o caso.

A “C” é correta. Na inspiração os músculos contribuem para a insuflação do pulmão vencendo suas propriedades elásticas e na expiração, as característica retráteis do pulmão fazem com que ele retorne ao estado pré-inspiratório.

A primeira conclusão da alternativa “D” é correta, mas nem sempre a redução dos volumes pulmonares é causada pelo aumento da resistência nas vias aéreas.

Sobre a “E”, não tenho certeza se a avaliação da pressão transdiafragmática é ainda padrão-ouro para essa aferição, mas com certeza não é tão utilizada na prática clínica, se trata de um exame invasivo.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

FCC – TRT 3 2009 – Questão 56

56. Em um paciente com diagnóstico de pneumotórax extenso à direita observa-se expansibilidade torácica

(A) assimétrica, percussão timpânica à esquerda e som respiratório diminuído à direita.

(B) assimétrica, percussão timpânica à direita e som respiratório abolido à direita.

(C) simétrica, percussão maciça à esquerda e som respiratório diminuído à esquerda.

(D) assimétrica, percussão maciça à direita e som respiratório abolido à direita.

(E) simétrica, percussão timpânica à esquerda e som respiratório abolido à esquerda.

pneumonia.jpg

Se há pneumotórax a expansibilidade torácica não pode ser simétrica, eliminamos as alternativas “C” e “E”.

Na ausculta não se observará som respiratório, e no exame físico a percussão será hiperressonante, ou hipersonora, e não timpânica. Parece ser questão de terminologia, mas percussão timpânica segundo li no site abaixo é para órgãos abdominais.

Referência:
http://simbrazil.mediviewprojects.org/index.php/percussao-do-torax

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

FCC – TRT 3 2009 – Questão 55

55. Em relação à pneumonia, considere:

I. O termo pneumonia abrange entidades distintas em sua fisiopatologia, apresentação e gravidade, e seus germes causadores são de fácil identificação.

II. Pneumonia trata-se de inflamação das vias aéreas proximais, dos alvéolos e do interstício pulmonar.

III. A pneumonia aspirativa ocorre pela aspiração grosseira de conteúdo contaminado da orofaringe, secundária à falha importante de fechamento da glote.

IV. A pneumonia nosocomial se instala em 48 a 72 horas após a internação e é similar às adquiridas na comunidade em relação aos patógenos.

Está correto o que se afirma em

(A) I, II, III e IV.

(B) II e IV, apenas.

(C) II e III, apenas.

(D) II, III e IV, apenas.

(E) III, apenas.

i55a

Vamos analisar galera:

“I. O termo pneumonia abrange entidades distintas em sua fisiopatologia, apresentação e gravidade, e seus germes causadores são de fácil identificação.”

Claaaro que é, pode ser vírus, bactéria, fungo ou pneumonia química. Molezinha de saber o agente patológico. Essa está bem errada. A grande dificuldade da pneumonia é determinar o agente causador. Quando se faz o diagnóstico, que é clínico, na maior parte das vezes não importa fazer a diferenciação. Ela só interessa quando o paciente não responde ao tratamento com antibiótico de amplo espectro.

“II. Pneumonia trata-se de inflamação das vias aéreas proximais, dos alvéolos e do interstício pulmonar.”

Errado. É inflamação sobretudo alveolar, em vias distais.

“III. A pneumonia aspirativa ocorre pela aspiração grosseira de conteúdo contaminado da orofaringe, secundária à falha importante de fechamento da glote”.

Correto.

“IV. A pneumonia nosocomial se instala em 48 a 72 horas após a internação e é similar às adquiridas na comunidade em relação aos patógenos”.

Errado. A pneumonia nosocomial ou hospitalar pode ter uma infecção de patógenos do ambiente hospitalar que diferem muito de outros patógenos.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

FCC – TRT 3 2009 – Questão 52

52. A insuficiência respiratória

I. aguda pode ser causada pelas alterações da capacidade de carreamento do oxigênio até as células, como ocorre em situações de choque, mesmo em pulmões normais.

II. é classificada quanto ao tempo de instalação da doença em aguda e crônica, podendo a forma aguda ocorrer em pacientes com pulmões previamente sadios ou se sobrepor a uma insuficiência crônica.

III. crônica tem instalação lenta e gera poucos sintomas devido aos mecanismos compensatórios que minimizam as alterações fisiopatológicas.

IV. hipoxêmica está invariavelmente associada à hipocapnia secundária e ao aumento do volume minuto.

V. aguda tem como alteração mais importante a redução da ventilação alveolar, definida como a porção da ventilação minuto que efetivamente alcança os alvéolos e participa das trocas gasosas.

Está correto o que se afirma em

(A) I, II, III, IV e V.

(B) I, II, III e V, apenas.

(C) II, IV e V, apenas.

(D) III, apenas.

(E) III, IV e V, apenas.

i52

Todas corretas, com exceção da alternativa IV.

A hipocapnia, ou seja, a hiperventilação, é o aumento da ventilação alveolar em vigência de produção constante de CO2 resulta numa diminuição da tensão alveolar de CO2 , pois o CO2 é eliminado dos pulmões pela ventilação aumentada, a diminuição de tensão de CO2 no organismo leva à alcalose respiratória, pois o CO2 é uma molécula geradora de ácido. A hipercapnia é uma ventilação alveolar inadequada para o nível metabólico, ou seja, hipoventilação, que resulta em elevação da tensão alveolar de CO2; quando ela excede o valor de 45mmHg, diz-se que existe hipercapnia. A hipoventilação usualmente se acompanha de hipoxia e produz um estado acidótico denominado acidose respiratória. A hipoxia ocorre quando os tecidos não recebem ou não podem utilizar o O2 em quantidade suficiente para suas atividades metabólicas normais. Por diluir o O2 presente nos alvéolos, a hipoventilação pode diminuir a tensão alveolar de O2.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B