FCC – TRT 3 2009 – Questão 31

31. As propriedades acústicas do agente acoplante utilizado na terapia por ultrassom devem

(A) ter impedância semelhante à da água.

(B) ter impedância menor que à da água.

(C) apresentar objetos reflexivos.

(D) ser quimicamente ativos.

(E) apresentar bolhas.

Q31.jpg

Questão estranha, precisa dar uma relida bem atenta para entender. O que interpretei para chegar a reposta é “pro US ter efeito, o tecido deve”.

Veja bem, o enunciado pergunta: Qual a propriedade acústica(de transmitir ondas sonoras) que o agente acoplante(onde se aplica o US) deve ter?

Sabendo que as ondas sonoras do US se transportam de forma perfeita na água, é qualquer coisa semelhante à água.

Apenas a título de curiosidade, animais marinhos se comunicam por ondas de som, como  golfinhos e  baleias. Aliás, acredita-se que antes De os gafanhotos humanos começarem a caçar esses animais e invadirem os fundos dos mares com seus submarinos, radares, sondas e plataformas de petróleo, uma baleia no polo norte podia se comunicar com outra no polo sul, por ondas sonoras.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

FCC – TRT 3 2009 – Questão 29

29. A frequência da corrente interferencial é de cerca de

(A) 6000 Hz

(B) 4000 Hz

(C) 2500 Hz

(D) 1000 Hz

(E) 50 Hz

q29informação

Estranho né? Não pediram os extremos, pediram um número chapado. Bem, a corrente interferencial trabalha entre 2000Hz a 4000Hz, então é “B”.

Criada na década de 1950, o uso da corrente interferencial vetorial (CIV) baseia-se em duas correntes sinusoidais de média frequência (2000 ou 4000 Hz), moduladas em baixa frequência (0-250 Hz), ou seja, 4000 a 4250 Hz, que se alternam e por isso conseguem atingir tecidos mais profundos de forma mais agradável.

Bibliografia:

2012. Dérrick Patrick Artioli , Gladson Ricardo Flor Bertolini. Corrente interferencial vetorial: aplicação, parâmetros e resultados.
http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2012/v10n1/a2674

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

FCC – TRT 3 2009 – Questão 28

28. Durante o trabalho de parto, entre e durante as contrações, a modulação da TENS deve ser respectivamente

(A) alta frequência/alta intensidade e alta frequência/alta intensidade.

(B) baixa frequência/alta intensidade e alta frequência/alta intensidade.

(C) alta frequência/alta intensidade e baixa frequência/baixa intensidade.

(D) baixa frequência/baixa intensidade e baixa frequência/baixa intensidade.

(E) baixa frequência/baixa intensidade e alta frequência/alta intensidade.

Q28amor.gif

Segundo Firmento (2011) acredita-se ainda que os principais motivos para a ocorrência da dor lombar na gestação sejam as adaptações da coluna vertebral, que se devem, principalmente, à ação do hormônio relaxina e ao aumento considerável do peso do abdômen. O hormônio relaxina é considerado o principal responsável pela frouxidão ligamentar durante a gravidez, o que permite que a sínfise púbica e a articulação sacro-ilíaca tornem-se mais flexíveis para a passagem do feto, levando à redução da estabilidade pélvica.

Para Barbosa (2011) estas alterações são fundamentais para regular o metabolismo materno, ajudar no crescimento fetal e preparar a mulher para o momento de trabalho de parto e para a lactação.

A intervenção fisioterapêutica na assistência obstétrica de baixo risco, como parte da rotina da equipe, valoriza a responsabilidade da gestante no processo, por meio do uso ativo do próprio corpo. A mobilidade corporal durante o processo de parturição, envolve interação de fatores fisiológicos, psicológicos, culturais e, principalmente,o apoio e a orientação da equipe obstétrica. A ação do fisioterapeuta é um fator estimulante para que a mulher se conscientize de que seu corpo ativo pode ser uma ferramenta para facilitar o processo do trabalho de parto e trazer-lhe satisfação com a experiência do nascimento.

Como dica aqui, só posso afirmar que se há contrações e não queremos induzi-las, a intensidade deve ser sempre baixa, para não atingirmos o limiar motor. Só resta a “D”.

Considerando que eletroterapia é contraindicada nos primeiros meses de gestação, e que não creio que haja evidência conclusiva sobre o uso em gestantes, entraria com recurso contra essa questão. Fico muito curioso sobre a bibliografia utilizada pela banca, provavelmente um estudo de caso apenas.

Bibliografia:

2009 Gabriela Zanella Bavaresco; Renata Stefânia Olah de Souza; Berta Almeica; José Hugo Sabatino; Mirella Dias. O fisioterapeuta como profissional de suporte à parturiente.
http://www.scielosp.org/pdf/csc/v16n7/25.pdf

2011. BARBOSA, C. M. S.; SILVA, J. M.N.; MOURA, A. B. Correlação entre o ganho de peso e a intensidade da dor lombar em gestantes. Rev. dor, São Paulo, v. 12, n. 3, set. 2011.

2012. FIRMENTO, Beatriz da Silva et al. Avaliação da lordose lombar e sua relação com a dor lombopélvica em gestantes. Fisioter. Pesqui., São Paulo, v. 19, n. 2, June 2012.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D

FCC – TRT 3 2009 – Questão 27

27. A fotoquimioterapia com psoraleno é o tratamento combinado de distúrbios da pele com esta droga fotossensibilizadora e radiação ultravioleta

(A) tipo A.

(B) tipo B.

(C) tipo C.

(D) tipos A e B.

(E) tipos B e C.

sol

O acrônimo “Puva” designa a utilização de 8–metoxipsoraleno oral seguida da exposição à radiação ultravioleta A (RUV–A), modalidade conhecida como fotoquimioterapia. Atualmente também denomina a terapia com qualquer psoraleno, oral ou tópico, e qualquer fonte de radiação, tanto artificial quanto o sol.

A exposição ao sol como agente terapêutico é preconizada desde a Antiguidade, como prática relacionada à religião. Seu uso passou a ser sistemático quando foram confirmados os efeitos em doenças cutâneas e sistêmicas.1,2 Os mecanismos de ação da radiação ultravioleta sobre os seres humanos passaram a ser esclarecidos nos séculos XVIII e XIX, por Grotthus e Niels Finsen. Porém, o relato de Goeckerman sobre os resultados da combinação de alcatrão cru e radiação ultravioleta na psoríase foi o estímulo maior para o desenvolvimento da fototerapia na dermatologia.

Em 1947, Fahmy et al., no Egito, isolaram um composto cristalino, a imoidina, a partir de extratos alcoólicos da planta Ammi majus. Essa substância era o 8–metoxipsoraleno (8–MOP), e seu uso, tanto oral como tópico, marcou uma nova era no tratamento dermatológico.

A fototerapia é indicada para diversas dermatoses, muitas de alta incidência e difícil controle. A partir da experiência com a radiação no espectro ultravioleta, novas opções têm sido adicionadas, utilizando outros comprimentos de onda, agentes associados e combinações.

Bibliografia:

2007. Tania F. Cestari; Simone Pessato; Gustavo Pinto Corrêa. Fototerapia – aplicações clínicas.

http://www.scielo.br/pdf/abd/v82n1/v82n01a02.pdf

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

FCC – TRT 3 2009 – Questão 25

25. Sobre o Ondas Curtas é correto afirmar:

(A) O tecido adiposo é um bom condutor, apresentando alta magnitude de corrente produzida na gordura.

(B) As moléculas dipolares encontradas nos tecidos vivos não são afetadas pelos campos elétricos.

(C) Os tecidos com baixo conteúdo iônico são os melhores condutores da onda eletromagnética do aparelho.

(D) O tecido que contém altas proporções de moléculas com carga apresentará maior aquecimento durante sua utilização.

(E) O suor não apresenta boa condutividade para este aparelho.

q25 be kind

As alternativas “A”, “B” e “E” são o oposto do que se conhece sobre a ação do OC nos tecidos biológicos.

As alternativas “C” e “D”, apesar de estarem em termos ligeiramente diferentes, são opostas entre si, o que já deve ligar sua luzinha do desconfiômetro e indicar que uma das duas é correta. No caso, alto conteúdo iônico produz maior aquecimento.

ONDAS CURTAS E TECIDOS BIOLÓGICOS

O nível de calor gerado dependerá da condutividade dos tecidos, portanto os tecidos com maior teor de água e íons são aquecidos com mais rapidez. Podemos considerar que os tecidos vivos têm três características moleculares na condutividade da energia eletromagnética: moléculas carregadas, moléculas dipolares e moléculas apolares. Tecidos diferentes tem proporções variáveis destas moléculas. É bastante conhecido em nosso meio de que o atrito entre as moléculas do tecido humano tem como conseqüência a produção de calor, e quanto maior for a quantidade de moléculas carregadas eletricamente, maior será a sua condutividade e maior a produção de calor. Como exemplo de moléculas dipolares encontradas nos tecidos humanos temos: a água e algumas proteínas. Moléculas carregadas: íons carregados (cátions e ânions) Moléculas apolares: células de gordura Tecidos com alto teor iônico em solução ou com um grande número de íons livres, como por exemplo o sangue, tornam-se os melhores condutores da diatermia por ondas curtas. Na prática os tecidos mais vascularizados como o músculo e o osso são bons condutores, assim como em analogia com os metais e o suor.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D

FCC – TRE 13 2007 – Questão 60

60. O laser terapêutico apresenta as seguintes características físicas:

(A) monocromaticidade, colimação e não coerência.

(B) policromaticidade, espalhamento e coerência.

(C) policromaticidade, colimação e coerência.

(D) monocromaticidade. espalhamanto e não coerência.

(E) monocromaticidade, colimação e coerência.

laser

Características da Luz Laser

Após a inversão de população ter ocorrido, produzindo a excitação dos elétrons com ajuda de uma fonte externa, o decaimento espontâneo de um dos átomos para o estado fundamental começa a provocar a emissão estimulada dos demais átomos e, conseqüentemente, produz luz. Somente a luz que se propaga ao longo do eixo principal do laser é que vai sofrer as várias reflexões no interior da cavidade ressonante, fazendo com que haja emergência de um feixe de luz. As principais características desse feixe emergente são as seguintes:

• primeiramente, a mais marcante é que a luz laser é monocromática, já que a energia carregada pelo fóton estimulante e pelo fóton emitido são as mesmas. Portanto, se verificarmos o espectro da luz laser, veremos apenas uma linha, mostrando que ela é composta de apenas um comprimento de onda, enquanto uma fonte de luz incandescente é formada por vá- rios comprimentos de onda. O esquema da Figura 13 mostra os dois espectros. A monocromaticidade da luz laser é importante em espectroscopia e em outras áreas de pesquisa que requerem luz com uma energia determinada.

• uma segunda característica é o fato de que a intensidade do feixe laser pode ser extremamente grande, ao contrário das fontes de luz convencionais. Sua potência pode atingir ordens de tera watt (1012 W). Essas grandes intensidades ocorrem em lasers pulsados, onde a energia acumulada em longo tempo é emitida toda em um intervalo de tempo muito pequeno, da ordem de 10-12 s.

• em terceiro lugar temos o caráter direcional do feixe laser. Fótons emitidos inclinados com relação ao eixo central não contribuirão para o feixe de laser final. O feixe resultante, que é constituído de ondas caminhando na mesma direção, é bastante estreito; ou seja, todo feixe propaga-se na mesma direção, havendo um mínimo de dispersão. Essa característica é extremamente importante para uma série de aplicações em comunicação, na indústria, na eletrônica etc.

• a quarta característica importante da luz laser é sua coerência. Para explicar o que significa a luz ser coerente devemos lembrar da natureza ondulatória da luz. Radiação é espacialmente coerente se as ondas sucessivas da radiação estão em fase e temporalmente coerente se os trens de onda têm todos a mesma direção e o mesmo comprimento de onda. Para exemplificar nossa idéia de coerência, vamos tomar um exemplo simples. Vamos considerar as águas calmas de um lago. Ao jogarmos uma pedra, haverá produção de ondas de uma forma periódica e ordenada. Com isso, vemos em todos pontos desse lago ondas coerentes. Agora, vamos jogar de maneira desordenada várias pedras no interior do lago. Nessa situação, as ondas da superfície estarão totalmente desordenadas, provenientes de pontos diferentes. Essas não são ondas coerentes, mas incoerentes.

Bibliografia:

Sociedade Brasileira de Física.

http://www.sbfisica.org.br/fne/Vol2/Num2/a02.pdf

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E