VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 32

32. Sabidamente o fumo causa várias doenças ao nosso organismo. Dentre as disfunções vasculares nos membros, a afecção que está diretamente relacionada à nicotina é a

(A) doença de Raynaud.

(B) doença vascular arterioesclerótica.

(C) tromboangeíte obliterante.

(D) oclusão arterial aguda.

(E) trombose venosa profunda.

i32

A doença de Buerger (tromboangeíte obliterante) é a obstrução das artérias e das veias de pequeno e de médio calibre, por uma inflamação causada pelo hábito de fumar.

Esta doença afeta, de forma predominante, fumantes homens entre os 20 e os 40 anos. Só cerca de 5 % dos doentes são mulheres. Embora se desconheça a causa da doença de Buerger, só os fumantes a contraem e, se continuarem a fumar, agravam-na. Devido ao fato de só um pequeno número de fumadores contrair a doença de Buerger, julga-se que existe algum fator que os deve tornar mais propensos. O como e o porquê de o fato de fumar cigarros ser a causa do problema continua a ser uma incógnita.

Sintomas

Os sintomas de um fornecimento reduzido de sangue aos braços ou às pernas aparecem de forma gradual; iniciam-se nas cabeças dos dedos das mãos ou dos pés e progridem pelos braços ou pelas pernas acima, até que, finalmente, causam gangrena. Cerca de 40 % das pessoas com esta doença também têm episódios de inflamação nas veias, particularmente as veias superficiais e as artérias dos pés ou das pernas. Nota-se frio, entorpecimento, formigamento ou ardor antes que se observe qualquer outro sinal. Muitas vezes, associa-se o fenómeno de Raynaud (Ver secção 3, capítulo 28) a cãimbras musculares, geralmente nos arcos dos pés ou nas pernas, mas raramente nas mãos, braços ou coxas. À medida que a obstrução se torna mais grave, a dor é mais intensa e mais persistente. Por outro lado, é característico o aparecimento precoce de úlceras, gangrena ou ambas simultaneamente.

A mão ou o pé sentem-se frios, existe uma sudação excessiva e tornam-se de cor azulada, provavelmente porque os nervos reagem à dor intensa e persistente.

Diagnóstico

Em mais de 50 % dos casos, o pulso está fraco ou ausente numa ou mais artérias dos pés ou dos pulsos. Com frequência, as mãos, os pés e os dedos das mãos ou dos pés tornam-se pálidos quando se elevam acima da altura do coração e vermelhos quando se baixam. Podem, assim, aparecer úlceras na pele e gangrena num ou mais dedos da mão ou do pé. A ecografia Doppler revela uma grave diminuição da pressão do sangue e do fluxo sanguíneo nos pés, nas mãos e nos dedos afectados. As angiografias (radiografias das artérias) mostram artérias obstruídas e outras anomalias da circulação, sobretudo nas mãos e nos pés.

Tratamento

Uma pessoa com a doença de Buerger deve deixar de fumar; caso contrário, o processo agravar-se-á de forma inexorável e, finalmente, será necessária uma amputação. Também deve evitar a exposição ao frio; as lesões por calor ou por frio, ou substâncias como o iodo ou os ácidos usados para tratar calos e calosidades; as lesões provocadas pelo calçado mais apertado ou por uma pequena cirurgia (por exemplo, alisar as calosidades); as infecções provocadas por fungos e por fármacos que podem levar a uma constrição dos vasos sanguíneos (vasoconstritores).

Aconselha-se a caminhar entre 15 a 30 minutos, duas vezes por dia, excepto as pessoas com gangrena, chagas ou dor em repouso, as quais, pelo contrário, podem necessitar de repouso na cama. Os pés deverão ser protegidos com ligaduras almofadadas para os calcanhares ou com botas de espuma de borracha. A cabeceira da cama pode ser elevada com blocos de 12 cm a 18 cm, para que a gravidade facilite o fluxo de sangue pelas artérias. Os médicos podem prescrever pentoxifilina, antagonistas do cálcio ou inibidores plaquetários como a aspirina, especialmente quando a obstrução é a consequência de um espasmo.

Nas pessoas que deixam de fumar, mas que ainda têm oclusão arterial, os cirurgiões podem melhorar o fluxo sanguíneo cortando certos nervos próximos para evitar o espasmo das artérias. Raras vezes, levam a cabo uma cirurgia de derivação (bypass) com enxertos, porque as artérias afectadas por esta doença são demasiado pequenas.

Referência:

Site da internet http://www.manuaismsd.pt/?id=54&cn=670, acesso em 30 de novembro de 2016.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s