Protegido: Resumo Neuroanatomia

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Anúncios

FCC – TRT 3 2009 – Questão 37

37. Os cuidados com as áreas de pressão na confecção de órteses de membro superior têm como prioridade

(A) determinar o grau de limite do arco de movimento.

(B) assegurar estética da órtese e prevenir áreas de fricção.

(C) limitar somente os movimentos específicos que se deseja controlar.

(D) prevenir o risco de queimaduras, em especial em crianças e pacientes com alteração de sensibilidade.

(E) observar áreas com alterações circulatórias e de sensibilidade.

i37.gif

O cuidado na confecção das órteses em relação às áreas de pressão é primordial para o tratamento do paciente. Uma órtese sem ajuste adequado pode levar a pontos de pressão e produzir feridas, bem como pode comprometer as condições de nutrição daquelas regiões. Para a confecção da órtese de jeans, os cuidados se dirigem para os espaços interdigitais, para as falanges proximais e os lados laterais e mediais das metacarpofalangeanas (FERRIGNO, 2007).

FERRIGNO, I. S. V. O uso de órteses em Terapia de mão. In: FERRIGNO, I. S. V. Terapia de mão: fundamentos para a prática clínica. São Paulo: Gen, 2007. p. 123-
137.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

Resumos e formas de aprendizado

cerebroemente

Olá fisioteam! Eu prometi para hoje o resumo, ele está pronto mas ainda falta revisar.

Estou tomando cuidado de selecionar as informações mais relevantes para provas de concurso da nossa área, sem deixar o resumo ficar superficial ou extenso demais, para que não deixe de ser resumo e acabe  virando uma  apostila enfadonha.

Mas hoje fui convocado na prefeitura de Mirassolândia!!! Vou acumular com o cargo de São José do Rio Preto. Não tive tempo de concluir a revisão, mas aguardem para amanhã o resumo.

Outro ponto legal é que os resumos serão sequenciais, de forma a favorecer a aprendizagem por associação. Após neuroanatomia, virá fisioterapia neurológica. Dessa forma, interligamos estrutura, função, disfunção e forma de tratamento. Para melhor assimilação, vou montar mapas mentais sobre esses ciclos de resumos.

Vejam que legal o que andei lendo sobre isso:

Segundo a aprendizagem associativa para se aprender tem de se associar estímulos e respostas ou associar estímulos. Existem dois tipos de aprendizagem associativa: o condicionamento clássico e o condicionamento operante.

O condicionamento clássico foi o investigado russo Ivan Pavlov quem, ao estudar os reflexos digestivos do cão, descobriu uma forma de aprendizagem presente nos seres humanos e noutros animais.

O condicionamento operante foi o investigador norte-americano Rufus Skinner que desenvolve uma experiencia que o vai conduzir à descoberta do modo como tantas das nossas aprendizagens se processam e se mantêm.

Para controlar as variáveis da experiencia, criou um dispositivo experimental que tem o seu nome, a “caixa de Skinner”, que apresenta um dispositivo automático que liberta o alimento quando accionado.

Muitos dos nossos comportamentos foram adquiridos ao longo do processo de socialização através da observação e imitação dos outros.

A aprendizagem por observação e imitação foi estudada por Albert Bandura que numa das suas experiencias ofereceu um boneco a uma criança e a criança não demonstrou nenhuma atitude violenta. Contudo, depois da criança assistir a um adulto a bater ao boneco imitou este comportamento.

Bandura confirmou que a experiência dos outros pode conduzir à aquisição de novos comportamentos.

Contudo, notou que algumas crianças não reproduziam o comportamento que observam. Concluiu que não basta observar e reter um comportamento para o imitar e que a fase de execução implica factores internos do próprio sujeito.

O condicionamento clássico, bem como os outros acabam por ter vantagens e limitações, porque o comportamento é em função do estímulo, o ensino deve fornecer estímulos adequados, o fornecedor que os tem que fornecer, a aprendizagem depende apenas dos estímulos. E no condicionamento operante, no ensino existe arranjo das contingências de reforço, o formador faz surgir um comportamento ótimo usando os estímulos e os reforços apropriados, diminui o papel do individuo enquanto construtor da própria aprendizagem, o reforço nem sempre funciona devido aos diferentes significados e consequências para cada um, apela à manifestação do ensino. Na aprendizagem por observação e imitação a aprendizagem pode ocorrer em situações sociais, mais nem todas as aprendizagens, um individuo não necessita de experimentar todos os passos e um comportamento mais complexo para aprender, muitos comportamentos podem ser facilmente ensinados por exposição ao modelo, os indivíduos intervém no processo da aprendizagem.

FCC – TRT 3 2009 – Questão 36

36. Paciente, sexo masculino, 43 anos, relata que torceu o tornozelo esquerdo ao descer de uma escada para um solo irregular, dois dias antes da consulta, e que não consegue andar sem mancar, desde a lesão. O exame revela que o paciente apresenta edema e dor localizadas sobre a face lateral do tornozelo esquerdo. Nesse caso, visando a analgesia e diminuição do edema, deve-se indicar para o paciente

(A) mobilização passiva e posicionamento adequado dos MMII, mantendo a elevação de aproximadamente 30° a 40° dos MMII quando o paciente estiver em DD.

(B) exercícios resistidos e exercício de alongamento utilizando a técnica contrai-relaxa.

(C) alongamento do músculo tríceps sural.

(D) repouso.

(E) exercícios resistidos e posicionamento adequado dos MMII, mantendo a elevação de aproximadamente 30° a 40° dos MMII quando o paciente estiver em DD.

i36

Muito fácil. Informação mais relevante aqui, o fato da paciente ter sofrido uma entorse há dois dias nos impede lhe oferecer condutas que agravem o processo inflamatório ainda agudo. Podemos retirar qualquer ideia de exercício resistido. Eliminamos “B” e “E”.

Alongar? Com processo inflamatório traumático agudo? Eliminamos “C”.

Repouso? Isso ela sabe, e a fisioterapia tem recursos para esse caso, eliminamos “D”. Alguns estão descritos na alternativa “A”. Mobilização passiva leve para analgesia, e posicionamento para o edema.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

Aeronáutica – EAOT 2002 – Questão 24

24 – Em uma pessoa adulta normal claramente desperta, o comprometimento em alguns ou em todos os aspectos do funcionamento intelectual é chamado de

a) retardo.

b) delírio.

c) amnésia.

d) demência.

I24

Questão um pouco estranha. O próprio “normal” me parece que já é algo em desuso quando se fala em patologias neuropsiquiátricas.

Retardo seria o comprometimento do aprendizado e raciocínio; delírio seria comprometimento do estado consciente e amnésia é comprometimento da memória, que pode ser temporário ou permanente.

Das alternativas a única que pode comprometer todos os aspectos do funcionamento intelectual é a demência.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D

Aeronáutica – EAOT 2002 – Questão 23

23 – Segundo Patrícia M. Davies, é FALSO afirmar que, no tratamento do hemiplégico,

a) praticar subida e descida de escadas exerce um efeito benéfico sobre a marcha.

b) a perda do ritmo escápulo-umeral é um dos fatores causais do ombro doloroso.

c) a manutenção da flexão palmar do punho é extremamente importante para melhorar a drenagem venosa.

d) o modo como o paciente executa as atividades cotidianas afetará a qualidade do seu movimento global e seu padrão.

i23

Vocês conhecem a Patrícia Davies? Não!? Não conhecem a Paty!? Nem eu, hehe, mas vamos responder essa aqui.

As alternativas “B” e “D” são corretas, bem fácil perceber. Creio que poderá existir dúvida entre as alternativas “A” e “C”. Mas leiam bem as duas. A alternativa “C” sugere manter o padrão flexor para melhorar a drenagem venosa. Nada a ver. Que tal movimentar um pouquinho?

Patrícia M. Davies é uma autora conceituada, com obras sobre hemiplegia no adulto traduzidas para diversos idiomas. Você já deve ter visto algum livro dela na sua faculdade, são obras como “Passos a seguir”, “Hemiplegia”, “Exatamente no centro” e “Recomeçando outra vez”. Não sei significado do “M.” de seu sobrenome, pois curiosamente em todos os seus livros esse sobrenome está abreviado.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

Dicas sobre resumos

andar

No momento os colaboradores são poucos, beeeem poucos, para dizer a verdade são 3, mas para uma semana dessa iniciativa acho bem satisfatório.

Em breve vou conseguir o suficiente para, caso necessário, começar a investir para aprimorar e elaborar formas de facilitar a assimilação do conteúdo exigido para concursos, que é bem amplo. Podemos dizer que é todo o conteúdo da graduação e mais um pouco.

Essa semana vou disponibilizar um resumo de neuroanatomia. Comecei a fazer resumos quando fiz uma prova em Suzano, em 2011, e tive dificuldade numa questão de anatomia  e tinha o resumo dobradinho no meu bolso. Levei para estudar no ônibus a caminho da prova. Pensei em pedir para ir ao banheiro e desonestamente ver a resposta, mas por algum motivo não quis fazer isso. Orgulho-me desse momento e tenho certeza que isso foi fundamental para que eu memorizasse muita coisa para as provas que fiz depois, afinal, como colocar no bolso o resumo de todo o conteúdo da graduação? Impossível, né!?

Mas há um lugar que podemos guardar esses resumos para colar na prova, e que o edital permite! Nosso cérebro é capaz de armazenar o conteúdo de milhares de bolsos. E não temos milhares de pernas…

Para tanto, existem algumas técnicas, como mapas mentais e outros atalhos. Não sou bom nessas coisas, admito, mas pretendo elaborar conteúdos baseados nesses métodos de memorização e aprendizado.

Mas a primeira postagem será apenas o meu resumo, que afinal só tem significado para mim, que elaborei. Portanto, para iniciarmos essa forma de aprendizado, gostaria que vocês colaboradores elaborassem resumos de neuroanatomia, contendo sistema nervoso central, sistema nervoso periférico e neuroanatomia celular.

Depois confrontem com o meu resumo, que já está na página 12. É quase uma apostila. Dessa forma vocês terão um resumo pessoal que fará sentido e ajudará na semana anterior ao certame que vocês prestarem. Devo disponibilizar esse resumo na quarta-feira.

Mas quem passar na minha frente em alguma prova de tribunal vai ter me doar um ano do salário.. humpf!