FCC – TRT 6 2007 – Questão 38

38. A definição: “exercício realizado com extremidade distal do membro fixa”, refere-se à

(A) propriocepção.

(B) cadeia cinética aberta.

(C) cadeia cinética fechada.

(D) facilitação neuromuscular proprioceptiva.

(E) espasmo muscular.

pgi0403

CADEIA CINÉTICA ABERTA:

Um movimento em Cadeia Cinética Aberta (CCA) é definido como aquele que ocorre quando o segmento distal de uma extremidade move-se livremente no espaço. Ex. exercício CCA chutar uma bola e levar um copo a boca.

CADEIA CINÉTICA FECHADA:

Um movimento em Cadeia Cinética Fechada (CCF) é definido como aquele que o segmento distal encontra se fixo (não se move). Ex. de exercícios CCF são flexão de braço e agachamento.

DIFERENÇAS PRINCIPAIS:
Cadeia Cinética Aberta: Segmento distal está livre para se mover e o segmento proximal está fixo
Aumento de cisalhamento articular (atrito articular);
Diminui compressão articular;
Apenas um plano de movimento;
Apenas um músculo (o agonista) é mais envolvido;
Aumento das forças de aceleração;
Diminuição das forças de resistência;
Formas de aceleração concêntrica e desaceleração excêntrica.

Cadeia cinética Fechada:
Segmento distal está fixo, sem se mover, e as partes proximais se movem
Diminui cisalhamento articular (atrito articular);
Aumenta compressão articular;
Movimento de múltiplos ângulos;
Músculos antagonistas e agonistas bem envolvidos (movimento funcional, vários músculos);
Essenciais para exercícios específicos de esporte e reabilitação;
Aumento das forças de resistência;
Estimulação dos proprioceptores;
Aumento das forças de compressão articular;
Aumento da estabilidade articular;
Aumento da estabilidade dinâmica.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

Anúncios

FCC – TRT 6 2007 – Questão 37

37. Sobre a utilização de exercícios em pacientes com osteoartrose é INCORRETO afirmar que:

(A) diminuem a dor.

(B) melhoram e mantém a força muscular.

(C) aumentam a densidade óssea.

(D) pioram a dor por causar estresse articular.

(E) aumentam a funcionalidade.

oa_osteoartrite

Por dr Allyson Bernardo dos Santos

Questão obvia,  letra “D”, nos outros itens só temos benefícios do exercício.

Obs: Desde que respeitada a carga, intensidade do exercício e a dor do paciente.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D

FCC – TRT 6 2007 – Questão 36

36. No pós-operatório imediato de uma artroplastia total do quadril, é contra-indicado ao paciente sentar com as pernas

(A) cruzadas e em locais baixos e deitar com a perna posicionada em rotação lateral.

(B) em abdução e deitar com a perna posicionada em rotação lateral.

(C) em adução, sentar com as pernas cruzadas e em locais altos.

(D) cruzadas e em locais altos e deitar com a perna posicionada em rotação medial.

(E) em posição neutra e em locais baixos e deitar com a perna posicionada em rotação medial.

quadril2

Por dr Allyson Bernardo dos Santos

Orientações a serem seguidas no pós-operatório imediato de artroplastia total do quadril: não sentar-se em cadeiras baixas, evitando assim ângulos maiores que 90º do quadril; não inclinar o tronco sobre as pernas quando for se levantar ou sentar; nunca deitar se em decúbito lateral (lado operado); dormir com travesseiro entre as pernas para não realizar a adução do quadril nem cruzar as pernas e evitar a rotação lateral do quadril.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

VUNESP – SOROCABA/SP 2010 – Questão 26

26. Com relação às indicações para utilização de ondas curtas, assinale a alternativa correta:

a) Gravidez e implantes metálicos

b) Osteoporose moderada e alteração da sensibilidade térmica

c) Marcapasso e osteopenia

d) Hérnia discal e fibroses pós-operatórias crônicas

e) Dismenorreia e DIU

fogo

Questões como essa me dão vontade de criar novas categoria aqui no blog. Essa daqui poderia entrar tranquilamente numa categoria de interpretação de texto, porque apesar de exigir algum grau de conhecimento do ondas curtas, é uma questão de nível fácil onde só pode se haver falha ao se interpretar o enunciado errado.

Se pensarmos em contraindicações, podemos cair em qualquer alternativa que não a “D”, e errar a questão.

Alternativa que assinalei na ocasião em que realizei essa prova: D

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D

FCC – TRT 6 2007 – Questão 35

35. Em indivíduos com idade inferior a 65 anos, o tempo ideal para a realização de um alongamento efetivo é de

(A) 10 segundos.

(B) 15 segundos.

(C) 20 segundos.

(D) 25 segundos.

(E) 30 segundos.

serie williams

Por dr Allyson Bernardo dos Santos

Questão que vez ou outra costuma aparecer em concurso, é dever de um fisioterapeuta saber que para que se tenham os benefícios do alongamento, o mesmo tenha que ser aplicado pelo menos por 30 segundos.

Segundo o estudo de Bandy et al. examinaram os efeitos do tempo e alongamento de isquiotibiais em três grupos por 15, 30 e 60 segundos, cinco vezes por semana, durante seis semanas, sendo comparados com um grupo controle que não foi alongado. A eficácia foi igual em 30 e 60 segundos, sendo que ambos foram mais efetivos que em 15 segundos ou nenhum alongamento.

http://medicina.fm.usp.br/fofito/fisio/pessoal/amelia/artigos/alongamentorev.pdf

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

FCC – TRT 6 2007 – Questão 34

34. O fixador de fraturas Ilizarov é

(A) externo e composto por um sistema de fios ou pinos conectados a uma haste externa.

(B) interno e composto por um sistema de fios ou pinos conectados por uma haste intramedular.

(C) externo e composto por um sistema de fios ou pinos conectados a um anel circular.

(D) interno e composto por hastes intramedulares.

(E) interno e composto por parafusos e placas.

34a

Por dr Allysson Bernardo dos Santos

O fixador externo de Ilizarov foi desenvolvido em 1951 no Centro Ortopédico de Kurgan, na Rússia, pelo Prof. Gavrill Ilizarov e só chegou aos países do ocidente em 1981, através do trabalho realizado pelos ortopedistas italianos. Este fixador permite que se realize compressão, distração, decalagem e transporte ósseo, além de remodelamento e o alongamento ósseo, possibilitando a correção de fraturas e deformidades ósseas, tratamento de infecções e até mesmo a substituição do emprego de próteses ou enxerto ósseo nas ressecções tumorais (MOTA, 2000). É o mais complexo dos fixadores e apresenta as melhores condições de atuação em todas as possibilidades clínicas.

A fisioterapia aplicada nos pacientes portadores desse tipo de fixador externo atua como coadjuvante no tratamento desses pacientes, objetivando a manutenção dos seus sistemas orgânicos, a reeducação e a recuperação das suas funções motoras.

Descrito pela ANVISA:

Os Fixadores Externos Ilizarov e Mini Ilizarov são indicados para fixações ósseas, são colocados externamente através da pele e estabiliza os fragmentos através do uso conjunto com fios e/ou pinos implantáveis conectados a anéis e semi-anéis, que por sua vez são conectados a uma ou mais barras rosqueadas, tubos longitudinais, arcos, placas, etc, conforme a particularidade de cada patologia.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

FCC – TRT 6 2007 – Questão 33

33. Os fatores de risco de osteoporose em homens são:

(A) baixos níveis de testosterona; uso de altas doses de corticosteróides por longo período; problemas de má absorção; baixo peso em relação à altura.

(B) altos níveis de testosterona; uso de altas doses de corticosteróides por longo período; problemas de má absorção; baixo peso em relação à altura.

(C) baixos níveis de testosterona; uso de altas doses de corticosteróides por longo período; problemas de má absorção; alto peso em relação à altura.

(D) baixos níveis de testosterona; baixos níveis de ferormônios; altas doses de corticosteróides por longo período; baixo peso em relação à altura.

(E) altos níveis de testosterona; uso de altas doses de corticosteróides por longo período; problemas de má absorção; alto peso em relação à altura.

sedentarismo

Por dr Allyson Bernardo dos Santos

Apesar de ser menos acometido, o sexo masculino não está livre da doença: 10% dos homens na faixa dos 50 anos também desenvolvem o problema.

Tipos de osteoporose

Osteoporose idiopática: atinge homens dos 20 aos 80 anos, com maior incidência depois dos 70 anos. Não há causa identificada para esse tipo da doença.

Osteoporose secundária: responsável por cerca de 30% a 60% das fraturas da coluna vertebral. Atinge homens de qualquer idade. Nesse caso, existem fatores de risco associados à perda e à modificação dos ossos.

Essa tabela lista os fatores de risco para os homens:

33a

Referência:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-36162010000500003&script=sci_arttext

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A