FCC – Prefeitura de Santos 2005 – Questão 42

42. As patologias classificadas como espodiloartropatias soronegativas incluem as seguintes doenças:

(A) espondilite anquilosante, artrite psoriásica, artrite reumatóide e febre reumática.

(B) lupus eritematoso, esclerose sistêmica, fibromialgia e artrite reumatóide.

(C) artrite reumatóide, artrite reumatóide juvenil, febre reumática, fibromialgia.

(D) espondilite anquilosante, artrite psoriásica, síndrome de Reiter e doenças de Behçet.

(E) lupus eritematoso, esclerose sistêmica, síndrome de Reiter e artrite psoriásica.

BracoMecanico

AR e febre reumaticas são soropositivas. Esclerose sistêmica e fibromialgia são outro grupo de patologias.

Quando se fala em soronegativas ou soropositivas, é em referência à presença ou ausência do fator reumatoide(FR) no exame de sangue.

O conceito das espondiloartropatias soronegativas foi estabelecido em 1974, quando os pesquisadores ingleses Moll e Wright propuseram que se englobassem dentro de um mesmo conjunto algumas doenças até então consideradas completamente distintas entre si, mas que na verdade apresentavam diversas características comuns.

Tais características englobavam aspectos clínicos (dor axial inflamatória, associada à artrite, predominante em grandes articulações de membros inferiores, e entesopatias periféricas), radiológicos (sacroiliíte) e laboratoriais (soronegatividade para o fator reumatoide, pois, até a década de 1970, alguns pesquisadores consideravam a espondilite anquilosante como o componente axial da artrite reumatoide), em indivíduos com predisposição genética (ligada ao antígeno de histocompatibilidade HLA-B27).

Este conjunto incluiu a espondilite anquilosante, a artrite psoriásica, a artrite reativa e a síndrome de Reiter, e as artropatias enteropáticas (associadas às doenças inflamatórias intestinais). Nos últimos 20 anos, em virtude do crescente número de pacientes que apresentam um diagnóstico provável, mas que não conseguem preencher os critérios diagnósticos para uma doença definida dentro do grupo, criou-se o conceito das espondiloartropatias indiferenciadas. Recentemente, especialistas internacionais propuseram a mudança de nome para espondiloartropatias, suprimindo o termo soronegativas.

As Espondiloartropatias Soronegativas correspondem a um grupo de doenças que apresentam as seguintes manifestações clínicas em comum:
1 – artrite, com preferência ao acometimento das articulações sacroilíacas e da coluna vertebral;
2 – pesquisa negativa para o fator reumatóide (FR: exame de sangue);
3 – inflamação nos tendões e ligamentos que se ligam ao osso (entesites);
4 – marcador genético semelhante (HLA-B27.

Fazem parte deste grupo de doenças:

Espondilite Anquilosante,

Espondiloartropatias Indiferenciadas (indivíduos que não desenvolvem a doença completamente),

Artrite Reativa (associada a doenças infecciosas),

Artrite Psoriásica (associada à Psoríase) e

Artrites enteropáticas (associadas à doença de Crohn, Retocolite Ulcerativa, doença de Whipple, entre outras)

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s