FCC -TRT 15ª Região 2005 – Questão 55

55. A avaliação fisioterapêutica inclui procedimentos específicos que visam a subsidiar a elaboração do diagnóstico e escolha de conduta. São dados relevantes a serem pesquisados:

(A) a amplitude de movimento através da goniometria articular, pois seu déficit impossibilita a conduta fisioterapêutica.

(B)) as provas índex-index, calcanhar-joelho, diadococinesia e Romberg avaliam a função cerebelar.

(C) os reflexos miotáticos, pois evidenciam a atividade cortical.

(D) a funcionalidade de um paciente com lesão neurológica através da pesquisa do tônus muscular, reflexos tendíneos e sensibilidade.

(E) os componentes periféricos do controle motor.

gaivotareflex1

A alternativa “A” é absurda. A “D” propõe avaliação funcional com testes de sensibilidade, avaliação funcional se faz com testes de motricidade. A “E” é confusa, se estivesse se referindo à motricidade fina poderia estar correta, mas parece ser uma alternativa Frankenstein mesmo.

A alternativa “B” é correta.

A “C” é que é a pegadinha da história. Os reflexos miotáticos não avaliam a atividade cortical, mas avaliam a integridade do aparato neuromotor. Vou deixar um texto detalhado sobre esse reflexo.

Reflexo miotático

Segundo alguns autores o reflexo miotático pode ser considerado um reflexo proprioceptivo.Os reflexos miotáticos são característicos da musculatura esquelética controlados por órgãos receptores presentes nos músculos esqueléticos e nos tendões.

Existem 2 tipos de reflexo miotático: o reflexo miotático de estiramento e o reflexo miotático inverso.

O reflexo miotático de estiramento é controlado pelo receptor Fuso Muscular presente nos músculos esqueléticos. O arco reflexo do reflexo miotático de estiramento é composto por uma fibra aferente do tipo Ia que provem do fuso muscular. Na medula espinhal a fibra se ramifica e atinge a substância cinzenta medular.
Algumas ramificações fazem sinapses diretamente com neurônios motores alfa que inervam o músculo e seus sinergistas (pode-se concluir que este reflexo é monossináptico). A única maneira de serem gerados potenciais de ação ao longo de nervo sensorial do fuso é por estiramento das fibras musculares intrafusais, com isso são gerados potenciais de ação ao longo do nervo sensorial do fuso em proporção direta ao grau de alongamento do músculo intrafusal.

Esses nervos sensoriais podem detectar não apenas uma alteração no comprimento durante a fase de estiramento muscular, mas também o comprimento do músculo estacionário quando o animal mantém a articulação fixa. Os potencias de ação são transmitidos para a medula (onde fazem conexão monossináptica) excitando as fibras motoras alfas provocando a contração da musculatura agonista e relaxamento da antagonista (inervação recíproca). Esse sistema permite que o SNC perceba quando um determinado músculo é alongado por alteração na posição do corpo.

O reflexo miotático de estiramento pode ser dividido em Reflexo miotático dinâmico e reflexo miotático tônico. O reflexo miotático dinâmico é provocado por um estiramento rápido do músculo originando um sinal potente transmitido pelas terminações nervosas aferentes que causam uma contração reflexa do mesmo músculo que originou o sinal. O reflexo miotático tônico contribui para o tônus muscular. Quando um animal está de pé, de forma inconsciente um grupo de músculos é estendido e outro grupo de músculo é flexionado dando origem ao reflexo miotático tônico de modo que mantém o animal na posição desejada.

O reflexo miotático inverso é controlado pelo órgão tendinoso de Golgi que é um receptor de estiramento localizado tendão do músculo. O estiramento das fibras de colágeno do tendão também estira o órgão tendinoso de Golgi provocando sua despolarização.
Cada órgão tendinoso tem um nervo sensorial (aferente) que conduz os potenciais de ação para o SNC informando ao mesmo sobre o grau de tensão muscular decorrente da contração. Como o órgão tendinoso de Golgi fica em série com as fibras extrafusais, quando estas se contraem o órgão tendinoso de Golgi é estirado e são emitidos potenciais de ação para o SNC ao longo do nervo sensorial em uma freqüência proporcional à tensão desenvolvida pelo músculo.

Ao mesmo tempo, o fuso muscular reduz sua freqüência de Potencial de Ação pois o fuso fica paralelo ás fibras musculares extrafusais e quando estas se contraem, a frequência de PA emitido pelo fuso diminui. Como já foi mencionado, quando os Potenciais de Ação gerados ao longo do nervo sensorial do fuso atingem o SNC, causam estimulação dos neurônios motores alfa gerando contração muscular. Já os Potenciais de Ação ao longo dos nervos sensoriais do órgão tendinoso de Golgi têm efeito oposto. Causam potenciais inibitórios sobre o neurônio motor alfa reduzindo a contração da fibra muscular extrafusal.

Essas informações são essenciais para que o SNC possa coordenar adequadamente a postura e locomoção do animal. Esse sistema detecta discrepância entre o movimento que pretende comandar e o movimento que realmente ocorre, se houver discrepâncias, os ajustes adequados serão efetuados.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s