FCC -TRT 15ª Região 2005 – Questão 53

53. De acordo com as características das fibras musculares pode-se afirmar que:

(A)) segundo o tipo, apresentam diferenças bioquímicas e estruturais que se refletem em diferenças funcionais.

(B) as fibras tipo A, chamadas também de vermelhas, possuem maior atividade durante a contração rápida.

(C) há 3 diferentes tipos de fibras musculares que se diferenciam em cor, forma, tamanho e elasticidade.

(D) as fibras tipo C possuem metabolismo anaeróbico atuando, portanto, durante a contração lenta.

(E) não há controle supra segmentar sobre a atividade das fibras musculares, sendo estas as responsáveis pelo movimento articular.

musculos

A “B” erra ao afirmar que o tipo A possui maior atividade de contração rápida.

A “C” erra ao afirmar que são três tipos, embora o restante dessa afirmação possa ser questionado. Mas o caso é que são dois tipos e três subtipos do tipo II.

A “D” fala de fibras do tipo C, o que por si só já é errado, já que tipo “C” remete à classificação das fibras nervosas. Se estiver se referindo ao tipo IIc também estaria errada, já que esste tipo de fibra é intermediária no que se refere à resistência à fadiga, mas é classificada como de contração rápida.

A “E” seria o equivalente a afirmar que não há controle cortical sobre a contração muscular, o que é evidentemente errado. Seria terrível não controlar as próprias pernas, iríamos ficar andando por aí…

Tipos de fibras musculares
A classificação das fibras musculares faz-se de acordo com o metabolismo energético dominante, da velocidade de contração e da sua coloração histoquímica, a qual depende das atividades enzimáticas.
A coloração pelo PAS (Periodic Acid Schift) não determina o tipo de fibra, pois trata-se de uma coloração para o glicogênio, e é útil para avaliar a quantidade de glicogênio muscular antes e depois da atividade física.

As fibras musculares dividem-se em:
Tipo I, de contração lenta ou vermelhas, e isto devido à densi­dade capilar e ao conteúdo em mioglobina.
Tipo II, de contração rápida ou fibras brancas, as quais se sub­dividem na lIa, IIb, e IIc.

a) Fibras tipo I, de contracção lenta, vermelhas ou ST(slow twitch) São fibras com menor diâmetro, com um maior fornecimento sanguíneo, quando expresso em capilares por fibra, possuem muitas e grandes mitocôndrias e muitas enzimas oxidativas. São por isso fibras com um metabolismo energético de predomínio aeróbico, resultando uma grande produção de ATP, permitindo esforços duradouros. Estas fibras predominam nos músculos dos atletas de endurance ou resistência.
A enzima desidrogenase do sucinato, que é uma enzima típica do metabolismo aeróbico, encontra-se em quantidades elevadas e constitui um marcador deste tipo de fibras. Tem uma grande actividade da NAD desidrogenase e da citocromo oxídase.

b) Fibras tipo II, de contração rápida, brancas ou FT(fast twitch) São fibras brancas, de maior diâmetro, com predomínio de metabolismo energético de tipo anaeróbico. Possuem grandes quantidades de enzimas ligadas a este tipo de metabolismo, como por exemplo a CPK (creatinofosfoquínase), necessária à regeneração rápida de ATP a partir da fosfocreatina (CP). As quantidades das enzirnas desidrogenase láctica (LDH) e fosfofrutoquínase (PFK) são também elevadas. O músculo constituído por este tipo de fibras tem uma velocidade de contração, uma velocidade de condução na membrana e uma tensão máxima maior do que nas fibras do tipo I. Têm elevados níveis de atividade da ATPa­se miofibrilar, o que revela grande velocidade na elaboração das interações actina-miosina.

Fibras do subtipo lIa: são também fibras brancas, com predomínio do metabolismo anaeróbico, mas já com uma capacidade oxidativa superior, o que as toma ligeiramente mais resistentes à fadiga do que as do tipo IIb.

Fibras subtipo IIb: constituem o subtipo mais característico. São fibras de contração rápida (fast twitch), nas quais o metabolismo anaeróbico é dominante, o que origina uma grande acumulação de ácido láctico no final do exercício. O componente aeróbico é reduzido. São fibras com um mau rendimento energético, que acumulam muito ácido láctico e H +, são de contração rápida e facilmente fatigáveis. Quando sujeitas a um treino de endurance, de características aeróbicas, tendem a apresentar características mais semelhantes às do subtipo lIa.

Fibras do subtipo IIc: são fibras que se encontram no mús­culo em quantidades muito pequenas, cerca de 1% do total. Possuem predomínio do metabolismo anaeróbico e uma capacidade oxidativa bastante superior à encontrada nos subtipos anteriores, o que as coloca entre estas e as fibras tipo I, no que se refere à resistência à fadiga.

Ainda quer material para fixar esse assunto de forma definitiva? Então tá, vou deixar alguns vídeos, os dois primeiros dessa gracinha de professora, que fala alguma coisa sobre o Brasil ganhar a copa, obviamente anterior ao atropelamento da Alemanha, e os demais uma série de quatro vídeos da UFRJ.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s