VUNESP – Câmara de São Paulo/SP 2007 – Questão 32

32. Em condições patológicas, o tipo respiratório se modifica ou se inverte. O ritmo respiratório que se compõe de quatro fases (inspirações ruidosas gradativamente mais amplas alternadas com expirações rápidas e de pequena amplitude; apnéia em inspiração; expirações ruidosas gradativamente mais profundas alternadas com inspirações rápidas, de pequena amplitude e apnéia em expiração) é a respiração

(A) de Biot.

(B) suspirosa.

(C) de Kussmaul.

(D) diafragmática.

(E) de Cheyne – Stokes.

2-LungPollution

É importante ter memorizado esses ritmos respiratórios, sempre aparecem em questões das mais variadas bancas. Vou repostar o texto sobre o resumo das repirações anormais, com um vídeos adicional que resume bem e ajuda a entender melhor, usando o “Respiron” para demonstrar os fluxos respisratórios alterados.

Alguns padrões respiratórios anormais:

– Respiração de Cheyne-Stokes: caracteriza-se por ciclos de hiperventilação e hipoventilação (até apnéia); tal padrão é observado nas lesões hemisféricas bilaterais, principalmente decorrentes de hipoxia. (John Cheyne, médico escocês, 1777-1836)

– Hiperventilação neurogênica central: padrão respiratório rápido (freqüência em torno de 25 incursões/min), regular e profundo; embora tenha um valor localizatórjo específico, descrita em lesões mesencefálicas.

– Respiração apnêustica: há uma fase inspiratória prolongada seguida por apnéia, que pode ser seguida por uma salva inspiratória; este padrão ocorre nas lesões pontinas.

– Respiração de Biot (ou atáxica): ritmo totalmente irregular e sem sincronismo, caracteristicamente observado em lesões bulbares. tipo de respiração curta e rápida com pausas que duram entre 10 a 30 segundos. Pode ser observada em casos de meningite, sendo sinal de mau prognóstico. (Camile Biot, médico francês, 1878-1963)

– Respiração deprimida: consiste num padrão superficial, lento e ineficaz, causado por depressão bulbar geralmente por drogas.

– Respiração Kussmaul: tipo de respiração em que se verifica uma inspiração rápida e profunda, seguida de uma pausa, uma expiração súbita, em geral seguida de nova pausa. Encontra-se nos doentes em coma diabético e é uma respiração com hiperventilação que tenta compensar a acidose diabética.(Adolf Kussmaul, médico alemão, 1822-1902)

E um último vídeo com resumos para ajudar:

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s