VUNESP – Câmara de São Paulo/SP 2007 – Questão 25

25. A trombose Venosa profunda (TVP) e o embolismo pulmonar (EP) são complicações potenciais para todos os pacientes imobilizados, especialmente pacientes com acidente vascular encefálico (AVE), durante a fase aguda. O teste diagnóstico padrão ouro (Gold Standard) para o diagnóstico de TVP é

(A) sinal de Homan.

(B) ultra-sonografia de Doppler.

(C) teste de fibrinogênio marcado.

(D) flebografia/venografia com radiocontraste.

(E) pletismografia de impedância.

ouro

Vejam que interessante. Os testes “padrão-ouro” não devem ser interpretados como testes definitivos ou infalíveis para determinada patologia. São simplesmente o melhor que se tem até o momento, são testes que os pesquisadores tomam como parâmetros de comparação para se avaliar outros testes. Mais um motivo para estar sempre se atualizando: o teste “padrão-ouro” de hoje, pode perder o posto no caso de um pesquisador encontrar e reproduzir com sucesso um outro teste para diagnóstico.

Como exemplo, podemos achar, no ano desse concurso, 2007, um artigo da Sociedade Brasileira de Angiologa e cirurgia vascular que diz que o padrão-ouro não é exatamente o US Doppler:

O MD(Mapeamento duplex) é uma combinacao da ultrassonografia (US) modo B com a tecnica do Doppler pulsado, permitindo, assim, uma avaliacao simultanea da imagem bidimensional dos vasos e tecidos adjacentes e das caracteristicas do fluxo atraves da analise da curva espectral Doppler.

O MD e considerado o exame padrao-ouro dentre os nao-invasivos, porque permite identificar e localizar as alteracoes fisiopatologicas, obstrucoes ou refluxos, tanto no SVP(sistema vascular periférico) como no superficial, tendo nos ultimos anos substituido a flebografia em muitas das suas indicações.

A trombose venosa profunda aguda (TVP), em uma veia da perna apresenta-se tipicamente com dor e sensibilidade locais. Ela também causa edema e tumefação da extremidade inferior, devido à obstrução venosa. A precisão do diagnóstico clínico da trombose venosa profunda aguda é de aproximadamente 50%. Algumas das entidades patológicas que imitam os sinais e sintomas da TVP aguda são: cisto de Backer, celulite, linfedema, doençan venosa crônica e distúrbios musculoesqueléticos variados. A importância de fazer o diagnóstico da TVP aguda está em seu relacionamento com a embolia pulmonar. Sem tratamento, é provável que a embolia pulmonar ocorra em 50% dos casos. Até 30% dos episódios de embolia pulmonar podem ter a morte como resultado. Isto pode ser significativamente reduzido – por um fator de 10 – quando o paciente é tratado com anticoagulantes. O local da TVP é importante, já que o envolvimento das veias acima do joelho e popliteais está fortemente associado ao risco de embolia pulmonar. A TVP envolvendo apenas as veias da panturrilha não está associada com um alto risco de embolia pulmonar. A TVP sintomática isolada nas veias da panturrilha é também menos comum que a TVP do sistema femoropopliteal.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s