VUNESP – Câmara de São Paulo/SP 2007 – Questão 14

14. Os movimentos angulares grosseiros do corpo dos ossos descritos nos três planos do corpo: flexão e extensão no plano sagital, abdução e adução no plano frontal e rotação medial e lateral no plano transverso se referem a

(A) osteocinemática.

(B) artrocinemática.

(C) hipermobilidade.

(D) amplitude de movimento passiva.

(E) trabalho linear.

osteocinematico e artrocinematico

A questão é simples mas vamos elucidar aqui uma dúvida que as vezes assombra nossa mente: Osteocinemática? Artrocinemática? “Osteo” e “cinemática” já dizem tudo, são os movimentos dos ossos, os movimentos que aparentam realizar, como flexão e extensão. Já “artro” e “cinemática” fazem referência aos movimentos articulares propriamente ditos, como rotação, rolamento, giro, compressão e tração.

Na imagem desse post, podemos ver a seta com a direção do movimento osteocinemático, enquanto os movimentos artrocinemáticos ocorrem simultaneamente.

OSTEOCINEMÁTICA  E  ARTROCINEMÁTICA

I – MOVIMENTOS OSTEOCINEMÁTICOS
Os movimentos osteocinemáticos são os movimentos fisiológicos ou clássicos da diáfise óssea. Estes movimentos podem ser realizados voluntariamente pelo paciente de acordo com os planos cardeais do corpo.

O plano sagital divide o corpo em lados direito e esquerdo. Os movimentos que ocorrem neste plano são os movimentos de flexão e extensão. Quando dois segmentos se aproximam um do outro é realizado o movimento de flexão e quando eles se afastam é realizado o movimento de extensão.

O plano horizontal divide o corpo em partes superior e inferior. Os movimentos que ocorrem neste plano são os movimentos de rotação. O movimento de rotação interna ocorre quando a superfície articular roda anteriorizando-se em relação ao corpo, ou seja, uma rotação para dentro ou medial . Já o movimento de rotação externa a superfície articular roda em direção a parte posterior do corpo, ou seja, uma rotação para fora ou lateral. No antebraço a rotação interna é chamada de pronação e a rotação externa de supinação.

O plano frontal divide o corpo em partes da frente e de trás. Os movimentos realizados neste plano são o de abdução e o de adução. Quando um segmento se afasta da linha mediana do corpo é realizado o movimento de abdução. E quando um segmento se aproxima da linha mediana é realizado o movimento de adução. No punho o movimento de abdução é definido como desvio radial e o movimento de adução é definido como desvio ulnar.

Os planos secundários são destinados à articulações onde os planos frontal , horizontal e sagital passam em outros pontos que não o centro de gravidade do corpo, definindo assim o centro de uma articulação como a dos dedos, mão e pé. Um exemplo são os movimentos de dorsiflexão e flexão plantar que ocorrem no pé.

II – MOVIMENTOS ARTROCINEMÁTICOS
Os movimentos artrocinemáticos são os movimentos que ocorrem no interior da articulação e, eles descrevem a distensibilidade na cápsula articular permitindo que os movimentos fisiológicos ocorram ao longo da amplitude de movimento sem lesar as estruturas articulares. Estes movimentos não podem ser realizados ativamente pelo paciente, geralmente são muito utilizados para restaurar a biomecânica articular normal diminuindo a dor , alongando ou liberando com menos trauma determinadas estruturas.
São cinco os movimentos artrocinemáticos: giro, rolamento, tração, compressão e deslizamento.

NOTA: Tipos de articulação Os movimentos artrocinemáticos são influenciados pela forma das superfícies articulares, as quais determinam as articulações em ovóide ou selar.
1) Ovóide – neste tipo de articulação encontram-se uma superfície convexa e outra côncava.
2) Selar – esta articulação é formada por uma superfície côncava em uma determinada direção e convexa em outra direção, com uma superfície oposta semelhante côncava e convexa ao mesmo tempo.

II.a – Rolamento
Durante o rolamento um osso rola sobre o outro com a seguintes características :
– As superfícies são incongruentes.
– Novos pontos de uma superfície encontram novos pontos na superfície oposta.
– Nas articulações com a biomecânica normal o rolamento só ocorre em combinação com os movimentos de deslizamentos e giro, porém quando o rolamento ocorre sozinho causa compressão nas superfícies do lado que o osso esta se movendo, o que pode provocar uma lesão articular, e uma separação no outro lado.
– A superfície que se move seja ela convexa ou côncava não influencia a direção do movimento ósseo .

II.b – Deslizamento
Durante o deslizamento um osso desliza sobre o outro com as seguintes características:
– As superfícies articulares são congruentes.
– O mesmo ponto em uma superfície faz contato com novos pontos na superfície oposta.
– O deslizamento não ocorre sozinho devido as superfícies articulares não serem totalmente planas, ou seja, completamente congruente.
– Diferentemente do rolamento, a superfície articular que se move influência a direção do deslizamento, o que é chamado como regra convexo-côncava .
– Quando a superfície articular que se move é convexa o deslizamento ocorre na direção aposta à do movimento angular do osso.
– Quando a superfície que se move é côncava o deslizamento ocorre na mesma direção do movimento angular do osso.
– A regra do côncavo – convexo é importante para o terapeuta determinar a direção da força mobilizadora em técnicas de manipulação articular.

II.c – Giro
Durante o giro um osso gira sobre o outro com as seguintes características:
– O osso faz uma rotação sobre um eixo mecânico estacionário.
– O ponto na superfície que se move faz um círculo na medida em que o osso gira.
– O giro dificilmente ocorre sozinho, mas geralmente em combinação com o deslizamento.

II.d – Compressão
Durante a compressão uma superfície articular se aproxima uma da outra com as seguintes características :
– A compressão causa diminuição no espaço articular entre as partes ósseas.
– Ocorre normalmente nos membros inferiores e na coluna durante a sustentação do corpo
– Ocorre compressão com a contração muscular gerando estabilidade articular, impedindo lesões articulares.
– Com a compressão o líquido sinovial move-se para as estruturas articulares avasculares nutrindo-as e lubrificando-as.
– Cargas excessivas de compressão causam lesões articulares, principalmente na cartilagem articular.

II.e – Tração
Durante o movimento de tração as superfícies articulares afastam-se uma da outra com as seguintes características .
– Ocorre separação das superfícies articulares quando são puxadas distalmente uma da outra.
– Pode ocorrer tração no eixo longo do osso resultando em deslizamento caudal .
– Pode ocorrer tração em ângulo reto onde resulta na separação articular propriamente dita.

Os efeitos fisiológicos da mobilização articular
Os movimentos artrocinemáticos são muitos utilizados pelos fisioterapeutas no tratamento das disfunções articulares, alem de restaurar a biomecânica articular proporcionam efeitos fisiológicos benéficos no tecido articular e nas estruturas periarticulares, tais como :
– Movimenta o líquido sinovial levando nutrientes para as partes avasculares da articulação.
– Mantém a extensibilidade e a força de tensão nos tecidos articulares e periarticulares.
– Inibe a ação dos nociceptores profundos e superficiais através de estímulos dos mecanoceptores articulares.
Indicações
– Hipomobilidade articular causada por processos degenerativos como traumas, microtaumas de repetição, imobilização, maus hábitos posturais, desuso, idade avançada.
– Dor e espasmo muscular.
– Processos inflamatórios sem efusão articular.
– Patologia que causam uma hipomobilidade articular progressiva, como artrite reumatóide.

Contra-indicações e cuidados
– Hipermobilidade.

– Efusão articular: Devido ao acumulo de líquido no interior da cápsula articular ( líquido sinovial, sangue, exudado etc. ) que já esta distendida, o que provoca a dor devido ao estimulo dos nociceptores , um alongamento ou mobilização articular irá provocar uma maior distensibilidade causando mais dor, porém movimentos delicados oscilatórios podem em alguns casos ajudar a diminuir a dor e o edema articular por melhorar o fluxo de líquido e manter a mobilidade já existente da articulação lesionada.

– Processos inflamatórios agudos: No processo inflamatório ocorre acúmulo exudato intra-articular causando distensibilidade da cápsula articular, o que promove dor, técnicas de alongamento não são indicadas devido a origem da dor se causada pela resposta do organismo pelo excesso de líquido e espasmo articular, e não devido ao tecido mole estar encurtado. Apesar de muitos fisioterapeutas utilizarem o alongamento para ” ganhar arco de movimento” durante a inflamação aguda ,esta é contra-indicada por aumentar a dor e o espasmo articular devido a resposta do organismo ao tentar proteger-se do alongamento e também, quando o edema reduzir poderá ocorrer subluxações devido a uma hipermobilidade causada pelo excesso de distensibilidade capsular provocado pela mobilização articular.

– Devemos ter precauções com doenças ósseas detectadas no RX, fraturas não consolidadas, tecido conectivo recém-formado ( processos cirúrgicos ), artrite reumatóide e idosos ( devido ao enfraquecimento do tecido mole, técnicas de mobilização podem romper algumas estruturas periarticulares causando imobilidade e dor ).

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s