VUNESP – Câmara de São Paulo/SP 2007 – Questão 42

42. As articulações mais comumente acometidas na artrite reumatoide são:

(A) úmero radial, úmero ulnar e radioulnar.

(B) esterno clavicular, acrômio clavicular e escápulo-torácica.

(C) punho, metacarpofalângicas e interfalângicas proximais.

(D) metatarsofangeana, esterno clavicular e úmero ulnar.

(E) acetábulo femoral e sacro-ilíaca.

Artrite reumatoide

A alternativa “C” consta inclusive entre os critérios diagnósticos de Artrite Reumatoide.

Para uma pessoa ser diagnosticada com AR, o Ministério da saúde estabelece que é necessário apresentar quatro dos sete itens que compõem os critérios diagnósticos durante, pelo menos, seis semanas. Mas os pacientes que possuem dois ou três critérios não estão excluídos da possibilidade de desenvolver a doença no futuro.

1. Rigidez matinal – rigidez nas articulações e no seu entorno durante, pelo menos, uma hora até melhorar completamente.

2. Artrite em três ou mais áreas – inflamação em, pelo menos, três áreas de articulação com acúmulo anormal de líquido (edema) nas partes moles ou derrame do líquido articular.

3. Artrite de articulações das mãos ou punhos.

4. Artrite simétrica – inflamação das mesmas articulações nos dois lados do corpo ao mesmo tempo.

5. Nódulos reumatoides – nódulos embaixo da pele localizados sobre proeminências ósseas, em superfícies extensoras ou em regiões próximas das articulações (região justarticular).

6. Fator reumatoide (FR) sérico – grupo de anticorpos presente no sangue da maioria das pessoas com artrite reumatoide.

7. Alterações radiológicas – constatação em radiografias das mãos e dos punhos de erosões localizadas ou de ostopenia justarticular, que é uma diminuição da densidade dos ossos na região próxima das articulações.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

VUNESP – Câmara de São Paulo/SP 2007 – Questão 41

41. Alguns testes especiais são realizados pelo fisioterapeuta para confirmação do diagnóstico ou suspeita de alguma patologia. O teste que investiga a presença de hérnias discais cervicais ou compressão das articulações interapofisárias é

(A) compressão foraminal.

(B) Laguerre.

(C) Patrick ou Fabere.

(D) sinal de Schoeber.

(E) deglutição.

professor-pardal testes

Sobre o teste de compressão foraminal, que é a resposta correta desta questão e também é chamado de Spurling, gostaria de fazer um alerta. Há muitos vídeos no Youtube que o simplificam e até ensinam errado. O teste possui diferentes estágios, devendo ser realizado progressivamente. Esse teste pode sugerir uma dor de compressão da faceta articular ou do disco intervertebral.

O terapeuta inicialmente realiza uma compressão com a cervical em posição neutra e o paciente sentado. Posteriormente, o paciente realiza ativamente uma lateroflexão(inclinação) da cervical. Se a posição já provocar os sintomas de dor irradiada, a compressão não é necessária. Se o paciente não relatar sintomas, o terapeuta realiza a compressão, em direção para baixo e levemente inclinada para o centro, em direção ao eixo axial, diminuindo o espaço intervertebral e facetário no lado inclinado. Se o paciente tolera o exame inicial, repete-se a compressão com inclinação associada a extensão cervical. Neste movimento, a uma diminuição de 20 a 30% do espaço entre os processos espinhosos, e a dor se acentua.

A manobra não consiste numa sobrepressão à inclinação da cabeça, é uma compressão axial na posição de inclinação cervical.

Esse é o tradicional deste teste, é o que está descrito na maioria dos autores mais conceituados. Seguindo estes passos, qualquer problema existente certamente irá se manifestar. O vídeo abaixo, propõe formas de se diferenciar e sugere origens prováveis para as disfunções, por isso foi o meu escolhido entre os disponíveis no Youtube.

O Laguerre(não confundir com Laségue) é um teste para as articulações coxofemoral e sacroilíaca. Com o paciente em DD e flexão de coxofemoral e joelho a 90º, realiza-se abdução total e rotação externa, podendo impor leve compressão axial. Esta manobra provoca o deslocamento da cabeça do fêmur em direção anterior à cápsula articular. A presença de dor na articulação coxofemoral sugere artrose, podendo também tratar-se de contratura do músculo ileopsoas. Dor na parte dorsal da articulação sacroiliaca indica um processo patológico local. O vídeo abaixo demonstra a manobra nos segundos iniciais.

O teste de FABER ou Patrick é também para o quadril. Reparem que FABER(Flexion, ABduction, External Rotation) significa flexão + abdução + rotação externa. O paciente deitado em DD, a perna a ser testada é colocada numa posição de “figura-4”, em que o joelho é fletido e tornozelo é colocado em frente do joelho oposto. A articulação coxofemoral é colocada em flexão, abdução e rotação externa. O examinador aplica uma força posterior contra a face medial do joelho. O teste é considerado positivo quando ocorre dor na virilha ou dor na nádega. A presença de dor na articulação coxofemoral sugere artrose, podendo também tratar-se de contratura do músculo ileopsoas. Dor na parte dorsal da articulação sacroiliaca indica um processo patológico local.

O teste de Schoeber avalia a mobilidade do segmento lombar e sacral. Sabemos que o sacro não é articulado, mas ele se movimenta por estar articulado com a lombar em L5-S1 e com o osso ilíaco em suas laterais. Para se realizar o teste, o paciente fica em posição ortostática, com um lápis dermográfico traça-se uma linha entre as duas espinhas ilíacas-póstero superiores e outra linha 10 cm acima, em seguida pede-se ao paciente que faça flexão anterior do tronco, terapeuta medirá então a distância dos pontos marcados, em pacientes sem alterações de mobilidade deverá aumentar no mínimo 5 cm. Aumentos menores que 5 cm o teste é positivo.

Essa variação do teste pode ser usada para auxiliar no diagnóstico de espodilite anquilosante.

O teste de deglutição verifica a compressão anterior dos ligamentos e nervos. Pede-se para o paciente deglutir. O teste é positivo se o paciente referir dor. Também pode ser utilizado em casos de sequelas de AVE, para posterior tratamento fonoaudiológico.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

Um ano de questões de fisioterapia comentadas

Um ano se passou, aprendi bastante com esse espaço.

A meta de em média uma questão por dia foi cumprida. Agradeço a todos que acompanham e estudam por aqui, mas lembro que essas questões comentadas devem ser apenas uma parte do planejamento dos estudos. E se desconfiarem que estou errado estudem o assunto em profundidade, pois pode ser que eu esteja mesmo! #panic! Mas faço o possível para buscar fontes confiáveis e depurar os comentários.

Fiz o concurso do INSS desse ano, banca FUNRIO, onde a primeira prova foi anulada e eu tinha ido bem, desanimei completamente com o amadorismo da banca. Um colega aqui da prefeitura foi aprovado e já convocado. Outro concurso, numa cidade pequena próxima daqui, fiquei em segundo, exatamente um ponto atrás de uma cidadã que nem registro no crefito tem e que é parente de vereadora….será?

Provavelmente não assumiria esse último, embora a lei até permita acúmulo de cargos na área da saúde. Mesmo após estudar bastante e ter técnica de estudo, alguns fatores infelizmente fogem do nosso controle. E desses que prestei, o que tive mais possibilidade foi no maior deles, cujo salário é mais que 3 vezes maior que os outros, e com certeza não houve fraude, apenas uma prova mal-elaborada.

Por isso é preciso ter projetos paralelos, atendendo home care e clínicas de terceiros e estudar sempre, não desanimar. Infelizmente na fisioterapia não temos concursos que pagam salários realmente interessantes, acima de 7-8k, como na área de direito, onde muita gente larga o emprego para estudar o dia inteiro em busca de uma vaga.

Gostaria de agradecer ao dr. Geraldo Barbosa, do blog fisioterapia 14-F, por ter divulgado esse espaço logo no início. Aliás, é muito legal conhecer alguém de crefito 14-F, não!? Me formei em 2009 e meu registro é acima de 150 mil, imagina ser número 14!!! A história da fisioterapia brasileira em pessoa!

http://geraldobarbosa43.blogspot.com.br/

Foram 679 seguidores nesse ano, com mais de 268 mil acessos. Coloquei 378 posts, com 355 questões de concursos variados.

Tenham um bom dia, e lembrem-se que apesar de não ser certeza nem que o sol vá nascer amanhã, todo dia ele nasce e dá um show enquanto muita gente está dormindo.

VUNESP – Câmara de São Paulo/SP 2007 – Questão 40

40. C.B. 60 anos de idade, sexo feminino, obesa, sedentária, refere dor espontânea e localizada nos joelhos que piora com atividades de carga e sobrecarga, à noite, e em mudanças bruscas de temperatura, principalmente no frio, e pós-estresse emocional. Na avaliação fisioterapêutica, constata-se atrofia e fraqueza muscular e instabilidade articular. Sinais radiológicos mostram diminuição do espaço articular de modo irregular. A descrição sugere

(A) artrite reumatóide.

(B) osteoartrose.

(C) osteomalácia.

(D) osteoporose.

(E) doença de Paget.

osso

Quadro completamente característico de osteoartrose, comumente chamada de artrose.
Sobre a correlação da linguagem cotidiana e o que se vê em livros, fica mais ou menos assim:

Osteoartrose ou osteoartrite = Artrose(linguagem popular)
Artrite reumatoide = Reumatismo(linguagem popular)
Obs: às vezes a febre reumatoide também é descrita como reumatismo.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B