AOCP – EBSERH – UFGD/MS 2014 – Questão 38

38. No desvio postural de hiperextensão da coluna cervical, qual(is) músculo(s) se encontra(m) em posição alongada?

(A) Extensores da coluna torácica.

(B) Trapézio médio e inferior.

(C) Flexores da coluna cervical.

(D) Trapézio médio.

(E) Trapézio inferior.

cervical

Muito fácil essa. É só visualizar a anatomia desses músculos, que dá para perceber que o trapézio e os extensores estariam contraídos na hiperextensão da cervical.

Os flexores são os antagonistas deste movimento, permanecendo alongados.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: C

Alternativa que indico após analisar: C

IDECAN – CREFITO/PR 2013 – Questão 17

17. “Ao paciente em decúbito ventral, com o braço para fora da mesa em 90° de flexão, deve ser solicitado que erga o peso estendendo o ombro. O paciente pode realizar flexão simultânea do cotovelo, enquanto realiza o movimento descrito a fim de facilitá-lo.” A descrição anterior sobre o posicionamento durante exercício é indicada para o fortalecimento de qual grupo muscular?

A) Trapézio inferior e serrátil anterior inferior.

B) Deltoide posterior, grande dorsal e romboides.

C) Peitoral maior, redondo menor e grande dorsal.

D) Redondo maior, trapézio médio e grande dorsal.

E) Deltoide posterior, coracobraquial e peitoral menor.

Evan Centopani 01 - Costas

Pro pessoal que já fez musculação, essa é moleza. Não tem relação direta, mas esse exercício proposto me lembrou muito o exercício para fortalecimento unilateral de “costas”. Teria que avaliar a musculatura envolvida nas demais alternativas de forma mais cuidadosa, porque parece que mesmo não sendo a musculatura principal alguns músculos ali também são trabalhados neste exercício proposto no enunciado, o que o tornaria passível de recurso, principalmente com relação à alternativa “E”, já que não há essa definição de “principalmente”. Enfim, a resposta que melhor responde é a “B”- Deltoide posterior, grande dorsal e romboides.

costas fortalecimento

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

AOCP – EBSERH – UFGD/MS 2014 – Questão 36

36. Assinale a alternativa correta que corresponde ao principal músculo, na flexão, abdução e rotação externa da coxa com o joelho flexionado.

(A) Sartório.

(B) Vasto medial.

(C) Vasto lateral.

(D) Glúteo médio.

(E) Tensor da fáscia lata.

musculo-sartorio

Gosto de questões assim, que fogem do lugar comum e dos clichês das provas.

Aqui, o enunciado quer saber qual músculo é o agonista principal da articulação coxofemoral, na flexão, abdução e rotação externa, estando o joelho em flexão.

O principal flexor dessa articulação é o iliopsoas, mas com o joelho em flexão, creio que o psoas aja mais como um sinergista e estabilizador, ficando a cargo do sartório executar as funções relacionadas no enunciado.

Sartório
sartorio
Inserção Proximal: Espinha ilíaca ântero-superior
Inserção Distal: Superfície medial da tuberosidade da tíbia (pata de ganso)
Inervação: Nervo Femoral (L2 – L3)
Ação: Flexão, abdução e rotação lateral da coxa e flexão e rotação medial do joelho.

Quadríceps femoral
quadricepsvastos

Reto Anterior: Espinha ilíaca ântero-inferior
Vasto Lateral: Trocânter maior, linha áspera, linha intertrocantérica e tuberosidade glútea
Vasto Medial: Linha áspera e linha intertrocantérica
Vasto Intermédio: 2/3 proximais da face anterior e lateral do fêmur e ½ distal da linha áspera
Inserção Distal: Patela e, através do ligamento patelar, na tuberosidade anterior da tíbia
Inervação: Nervo Femoral (L2 – L4)
Ação: Extensão do joelho e o reto femoral realiza flexão do quadril. O vasto medial realiza rotação medial e o vasto lateral, rotação lateral

Glúteo médio

gluteomedio
Inserção Superior: Face externa do íleo entre a crista ilíaca, linha glútea posterior e anterior
Inserção Inferior: Trocânter maior
Inervação: Nervo Glúteo Superior (L4 – S1)
Ação: Abdução e rotação medial da coxa

Tensor da fáscia lata

tensordafascialata

Inserção Proximal: Crista ilíaca e EIAS
Inserção Distal: Trato íleo-tibial
Inervação: Nervo do Glúteo Superior (L4 – S1)
Ação: Flexão, abdução e rotação medial do quadril e rotação lateral do joelho

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

AOCP – EBSERH – UFGD/MS 2014 – Questão 35

35. Assinale a alternativa que corresponde corretamente com o par de nervos cranianos relacionado principalmente com a sensibilidade da face e com os músculos da mastigação.

(A) Vago.

(B) Troclear.

(C) Óptico.

(D) Facial.

(E) Trigêmio.

547px-Head_deep_facial_trigeminal

Ah, esse é fácil demais, é o nervo facial né! Opa, #SQÑ (#quasenuncausohashtags, #masacheiqueserialegalusaragora)

Pois é, uma pegadinha de excelente gosto essa aqui. Sim, gostei dessa. Não é o tipo que te induz a interpretar o texto de uma certa forma, essa pegadinha só pega quem dá bobeira mesmo.

O nervo facial é responsável pela motricidade da musculatura da face. Sensibilidade é com o trigêmio.

Nervo trigêmio

nervo trigêmio

O nervo trigêmeo é um nervo misto, sendo o componente sensitivo consideravelmente maior. Possui uma raiz sensitiva e uma motora. A raiz sensitiva é formada pelos prolongamentos centrais dos neurônios sensitivos, situados no gânglio trigemial, que se localiza no cavo trigeminal, sobre a parte petrosa do osso temporal. Os prolongamentos periféricos dos neurônios sensitivos do gânglio trigeminal formam, distalmente ao gânglio, os três ramos do nervo trigêmeo: nervo oftálmico, nervo maxilar e nervo mandibular, responsáveis pela sensibilidade somática geral de grande parte da cabeça, através de fibras que se classificam como aferentes somáticas gerais. A raiz motora do trigêmeo é constituída de fibras que acompanham o nervo mandibular, distribuindo-se aos músculos mastigatórios. O problema médico mais frequentemente observado em relação ao trigêmeo é a nevralgia, que se manifesta por crises dolorosas muito intensas no território de um dos ramos do nervo.

Nervo facial

facial-nerve-and-muscle

É também um nervo misto, apresentando uma raiz motora e outra sensorial gustatória. Ele emerge do sulco bulbo-pontino através de uma raiz motora, o nervo facial propriamente dito, e uma raiz sensitiva e visceral, o nervo intermédio. Juntamente com o nervo vestíbulo-coclear, os dois componentes do nervo facial penetram no meato acústico interno, no interior do qual o nervo intermédio perde a sua individualidade, formando-se assim, um tronco nervoso único que penetra no canal facial.
A raiz motora é representada pelo nervo facial propriamente dito, enquanto a sensorial recebe o nome de nervo intermédio.
Ambos têm origem aparente no sulco pontino inferior e se dirigem paralelamente ao meato acústico interno onde penetram juntamente com o nervo vestibulococlear.
No interior do meato acústico interno, os dois nervos (facial e intermédio) penetram num canal próprio escavado na parte petrosa do osso temporal, que é o canal facial.
As fibras motoras atravessam a glândula parótida atingindo a face, onde dão dois ramos iniciais: o temporo facial e cérvico facial, os quais se ramificam em leque para inervar todos os músculos cutâneos da cabeça e do pescoço.
Algumas fibras motoras vão ao músculo estilo-hióideo e ao ventre posterior do digástrico.
As fibras sensoriais (gustatórias) seguem um ramo do nervo facial que é a corda do tímpano, que vai se juntar ao nervo lingual (ramo mandibular, terceiro ramo do trigêmeo), tomando-se como vetor para distribuir-se nos dois terços anteriores da língua.
O nervo facial apresenta ainda fibras vegetativas (parassimpáticas) que se utilizam do nervo intermédio e depois seguem pelo nervo petroso maior ou pela corda do tímpano (ambos ramos do nervo facial) para inervar as glândulas lacrimais, nasais e salivares (glândula sublingual e submandibular).
Em síntese, o nervo facial dá inervação motora para todos os músculos cutâneos da cabeça e pescoço (músculo estilo-hióideo e ventre posterior do digástrico).

Fonte: http://www.auladeanatomia.com/neurologia/nervoscranianos.htm

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

AOCP – EBSERH – UFGD/MS 2014 – Questão 34

34. Preencha a lacuna e assinale a alternativa correta. _______________ é uma doença genética de caráter recessivo causado por um gene defeituoso localizado no cromossomo X, o qual leva ao enfraquecimento progressivo da musculatura esquelética.

(A) Distrofia Muscular do tipo Duchenne

(B) Doença de Parkinson

(C) Doença de Huntington

(D) Acidente Vascular Cerebral

(E) Esclerose Lateral Amiotrófica

dna

Questão simples. A distrofia muscular de Duchenne não está completamente caracterizada no enunciado, mas por eliminação podemos chegar facilmente a ela.

Parkinson e AVE, podemos eliminar facilmente. Das demais, ELA é caracterizada por degeneração dos neurônios motores e a doença de Huntington é autossômica dominante.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

AOCP – EBSERH – UFGD/MS 2014 – Questão 33

33. Assinale a alternativa que apresenta o equipamento fisioterapêutico cujo efeito terapêutico específico é facilitar a remoção da secreção pulmonar.

(A) RPPI.

(B) Flutter.

(C) EPAP.

(D) Espiromêtro de incentivo a volume.

(E) Espiromêtro de incentivo a fluxo.

Flutter_outline

O Flutter foi desenvolvido na Suíça e é um dispositivo de limpeza de secreções. Tem a forma de um tubo em que numa extremidade apresenta um bocal de plástico e, na extremidade oposta, uma cobertura plástica protetora perfurada; no seu interior apresenta um cone de plástico onde se encontra uma esfera de aço de alta densidade (Aptalispharma, 2003).

Este aparelho tem capacidade de:
– Produzir vibrações com o movimento da esfera que se propagam às vias respiratórias (permite soltar as secreções das paredes das vias aéreas);

– Aumentar de forma intermitente a pressão endobrônquica (que ajuda a manter a permeabilidade das vias aéreas durante a expiração, permitindo a constante drenagem do muco);

– Acelerar o fluxo de ar expiratório (que facilita o movimento ascendente do muco pelas vias aéreas de modo a que possa ser mais facilmente liberto) (Aptalispharma, 2003).

Os efeitos do Flutter ocorrem durante a fase expiratória, em que a posição da bola é o resultado do equilíbrio entre a pressão de ar expirado, a força da gravidade exercida na bola e o ângulo do cone. A bola oscila no cone criando um ciclo de abertura e fechamento que altera a quantidade de pressão e de fluxo expiratório (Aptalispharma, 2003).

Quando a frequência de oscilação se aproxima da frequência de ressonância do sistema pulmonar esta produz oscilações da pressão endobrônquica resultando na vibração das vias aéreas, o que irá facilitar o deslocamento do muco e o aumento intermitente da pressão nas vias aéreas. Isto vai impedir o encerramento precoce e a retenção de secreções nas vias aéreas e promover ainda um aumento do fluxo expiratório que facilita a progressão das secreções. (Frownfelter & Dean 1996; Hough 1996; Webber & Pryor 1998 citado por Abreu & Lopes, 2004).

Uma vez que este dispositivo providencia terapia PEP (Positive Expiratory Pressure) é indicado para pacientes que apresentem asma produtiva, bronquite, fibrose cística, atelectasia, ou outra condição em que haja retenção de secreções. A terapia PEP juntamente com técnica expiratória forçada, ou “huffing” ou tosse, podem ser usadas para limpeza das vias aéreas, higiene brônquica. Esta terapia vai ajudar a prevenir a acúmulo de secreções, melhorar a mobilização de secreções, melhorar a função vias aéreas centrais e periféricas, entre outros (Aptalispharma, 2003). Contraindicado em pacientes com Pneumotórax e Insuficiência Cardíaca Direita. (Abreu & Lopes, 2004).

Fonte: http://www.fisiotic.org/essawiki/index.php?title=Flutter

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

AOCP – EBSERH – UFGD/MS 2014 – Questão 32

32. Assinale a alternativa que corresponde corretamente à sequência do trato respiratório inferior.

(A) Boca, cavidade nasal, brônquios e bronquíolos.

(B) Faringe, laringe, traqueia e alvéolos.

(C) Boca, cavidade nasal, faringe e laringe.

(D) Traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos.

(E) Cavidade nasal, faringe, laringe e alvéolos.

trato respiratorio

O trato respiratório superior ou vias aéreas superiores refere-se principalmente às estruturas que compõem o sistema respiratório e que estão fora do tórax ou acima do ângulo esternal.

O trato respiratório superior é composto pelas seguintes estruturas:

cavidade nasal (seios nasais); cavidade oral; laringe e
faringe, dividida em:
nasofaringe
orofaringe
laringofaringe

Esses componentes têm a função de filtrar, aquecer e umidificar o ar, protegendo a superfícies do trato respiratório inferior.

Fazem parte das chamadas vias aéreas inferiores, ou trato respiratório inferior: traqueia, pulmões, brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares.

Ei pexe, videozinho para ilustrar mérmão:

Pra quem achou muito básico, divirta-se com a anatomia e a fisiologia da respiração:

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: D

Alternativa que indico após analisar: D