VUNESP – São Paulo/SP 2002 – Questão 18

18. Com relação à avaliação de pacientes internados em UTI, pode-se dizer que

(A) o fisioterapeuta deve somente preocupar-se com o quadro respiratório.

(B) não é da responsabilidade do fisioterapeuta prevenir escaras de decúbito, pois isto é de responsabilidade da enfermagem por estar dentro de uma UTI.

(C) o fisioterapeuta deve seguir somente os parâmetros médicos, não necessitando de uma avaliação de sua parte.

(D) o fisioterapeuta somente poderá realizar manobras de higiene brônquica na presença de um médico intensivista.

(E) o fisioterapeuta tem por obrigação realizar uma avaliação minuciosa, observando, inclusive, aspectos dermatológicos, osteomusculares, nível de consciência e quadro respiratório.

paciente UTI

Essa questão é muito simples. Muitas questões assim costumam conter “pegadinhas”, mas não é o caso, é uma questão bem honesta. Temos aqui descritos alguns estereótipos de profissionais, decorrentes provavelmente de senso crítico pouco desenvolvido, da personalidade, e de demais variáveis e particularidades de cada indivíduo.

Nas alternativas “A” e  “B”  podemos ter descritos os profissionais inseguros, os negligentes e os desatentos que se preocupam tanto com uma área de atuação que esquecem de avaliar o paciente em detalhes alheios a sua área de maior domínio. Não se trata aqui de perder o foco e priorizar o entorse de tornozelo num paciente acamado, mas sim de dar atenção ao paciente como um todo. Escaras ficam principalmente aos cuidados da equipe de enfermagem sim, mas não se deve por isso ignorar o problema.

Nas alternativas “C” e “D”, temos situações que se confundem, por estarem parcialmente corretas. E, por decorrência, estão parcialmente incorretas e não nos servem como resposta à questão sobre “o que pode se dizer” em relação à avaliação dos pacientes internados numa UTI. Na questão “C”, o termo “somente” exclui qualquer outra possibilidade que não a indicada pelo médico, até mesmo a avaliação. A alternativa “D” vai ainda mais longe e exclui a autonomia profissional do fisioterapeuta. Ambas incorretas. Na UTI, o fisioterapeuta faz parte de uma equipe multidisciplinar coordenada pelo médico intensivista, mas não deve se esquecer de sua responsabilidade e tampouco necessita da presença do médico para realizar seus procedimentos.

A alternativa “E” é o que se espera de qualquer profissional da área da saúde, que deve dar atenção à queixa ou acometimento principal do paciente mas também deve dar suporte e prestar as informações necessárias para que direcionar o tratamento de qualquer disfunção que o paciente possa vir a apresentar e que comprometa sua qualidade de vida futuramente.

Há muita diferença entre fazer o que dá na cabeça, elaborando um tratamento por conta própria, e trabalhar como integrante de uma equipe, assumindo a responsabilidade por sua conduta e avaliando o paciente de forma global, adotando medidas cabíveis e direcionando o que identificar não ser de sua competência.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s