Quer fazer parte?

Bom dia Fisioteam!

Já tentei isso uma vez e achei que foi muito bom o resultado na ocasião.

Quem quiser me ajudar aqui, mande email andrebp.fisio yahoo com br.

Minha ideia são 7 pessoas, cada uma posta um dia na semana. São 4 questões no mês.

O crédito será todo de quem postar. Com essas postagens e as minhas, chegaremos mais rapidamente em questões mais novas.

Também aceito sugestões quanto a isso.

Então, você que já se formou ou ainda não mas tem boa disposição para pesquisar e responder questões e quer fazer parte, estou interessado em montar essa equipe.

Abraço!

Anúncios

4 Anos!

Hoje completo 4 anos desde o inicio deste blog!

Estou pouco produtivo aqui, e pretendo mudar isso porque vocês merecem mais.

Já era pra estar em questoes mais recentes, mas realmente não tive tempo.

Algumas questões fogem muito da minha zona de conforto(quase todas kkk) e isso faz demorar para resolvê-las.

Preciso parar de prometer voltar e voltar de uma vez!

Abraco povo.

VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 46

46. Após uma cirurgia torácica, exercícios respiratórios reexpansivos são extremamente importantes para reabilitação do paciente. Qual o papel fundamental da equipe multidisciplinar para auxiliar a fisioterapia respiratória?

(A) A analgesia antes e depois da fisioterapia.

(B) Analgesia antes da fisioterapia.

(C) Analgesia após a fisioterapia.

(D) Auxiliar no manejo do paciente.

(E) Manter os parâmetros respiratórios.

i46

Essa questão… parece que todas podem estar corretas… dá até raiva.

No entanto, a VUNESP elege a alternativa “A” como correta. Atualmente existem, por exemplo, cirurgias torácicas minimamente invasivas. No entanto, a dor é lugar comum em cirurgias nessa região tão delicada.

Eu iria na alternativa “A” também, já que “D” e “E”, manejar o paciente e manter os parâmetros respiratórios, são nossa atribuição.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 45

45. Durante a fisioterapia motora de um paciente pediátrico, quais são os parâmetros de saturação de O2 que devem ser levados em conta antes do uso de suplemento de oxigênio?

(A) SaO2 acima de 98%.

(B) SaO2 acima de 96%.

(C) SaO2 acima de 94%.

(D) SaO2 acima de 92%.

(E) SaO2 acima de 90%.

i45

 

Vamos rever algumas definições relevantes pra essa questão.

Saturação de oxigênio, ou mais precisamente saturação de oxiemoglobina arterial, definida pela abreviação “Sa o2”, é a quantidade de oxigênio TRANSPORTADO pela hemoglobina. Seus valores de normalidade são igual ou superior a 97%.

Pressão arterial de 02, definida pela abreviação “Pa02”, é a quantidade de oxigênio EXISTENTE ou DISSOLVIDA no plasma sanguíneo. Seu valores de normalidade estão entre 90 e 100 mmHg.

Alguns autores consideram valores acima de 95% como normal para complicar um pouco.

Mas o caso é que essa questão é uma espécie de pegadinha. Não querem saber valores de normalidade aqui. Querem que você mostre em qual momento usaria suplementação de 02. Não há nenhuma patologia de base ali que justifique suplementar 02 com 96%, por exemplo. Acima de 90%, podemos considerar que é necessário o uso da suplementação de 02 para normalizar a saturação.

Se discordam, dissertem, comentem, citem referências e enriqueçam esse blog. Eu já passei em concursos e não estou mais nessa pegada de estudar pra prestar provas. Estudo para atender e trabalhar. O interesse maior é de vocês.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E

VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 44

44. A fisioterapia respiratória em pacientes pediátricos com baixo número de plaquetas requer alguns cuidados e prevenções. Com relação às manobras de higiene brônquica nesses pacientes, é correto afirmar:

(A) contagem de plaquetas superior a 100 mil, aceitam-se percussão e vibração; contagens entre 50 e 100 mil somente vibração e posicionamento de drenagem, e contagens abaixo de 50 mil somente drenagem.

(B) contagem de plaquetas superior a 50 mil, aceitam-se percussão e vibração; contagens entre 20 e 50 mil somente vibração e posicionamento de drenagem, e contagens abaixo de 20 mil somente drenagem.

(C) contagem de plaquetas superior a 30 mil, aceitam-se percussão e vibração; contagens entre 10 e 30 mil somente vibração e posicionamento de drenagem, e contagens abaixo de 10 mil somente drenagem.

(D) contagem de plaquetas superior a 50 mil, aceita-se vibração; contagens entre 20 e 50 mil somente percussão e posicionamento de drenagem, e contagens abaixo de 20 mil somente drenagem.

(E) contagem de plaquetas superior a 50 mil, aceitam-se percussão e vibração; contagens entre 20 e 50 mil somente vibração e posicionamento de drenagem, e contagens abaixo de 20 mil somente vibração.

i44

Questão muito interessante!

Em fisioterapia respiratória neonatal e infantil é preciso inicialmente esquecer essa história de que a criança é um adulto em miniatura. Nada a ver, é outra fisiologia e outra fisiopatologia, é preciso mais atenção a esses pontos e diferenciar essas duas classificações.

Isso posto, temos aqui nas entrelinhas uma condição denominada plaquetopenia ou ainda trobocitopenia. Não é com a gente? Realmente não é diagnóstico fisioterapêutico mas é uma contraindicação para algumas manobras, portanto temos que ficar ligados.

O valor normal de plaquetas é de 150.000 a 400.000. Dois terços desse montante estão permabulando pela circulação corpórea(100.000 a 270.000) e o restante está lá no esquecido baço. Em alguns quadros a criança deve limitar atividade física, antiinflamatórios e medicações contendo aspirina.

O caso é que os sinais e sintomas costumam aparecer quando a contagem está abaixo de 10.000. Por isso a alternativa “B” é a mais acertada entre as alternativas.

Entre as alternativas podemos matar algumas apenas estabelecendo uma hierarquia entre as condutas que podem causar risco de sangramento pela plaquetopenia, que é 1) percussão, 2) vibração e 3) drenagem.

Tinha separado material para referência mas não sei onde está. Se achar apago essa nota e atualizo aqui.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: B

Alternativa que indico após analisar: B

VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 43

43. A estabilização látero-lateral da bacia durante a marcha, ou o apoio unipodal, é dada pelos músculos

(A) glúteo médio e mínimo e tensor da fáscia lata.

(B) glúteo máximo e médio e tensor da fáscia lata.

(C) glúteo máximo e mínimo e tensor da fáscia lata.

(D) glúteo médio, tensor da fáscia lata e íleo psoas.

(E) glúteo médio e mínimo e íleopsoas.

i43

O glúteo médio é o principal estabilizador do quadril. Sua falha é claramente observada quando o teste de Trendelemburg dá positivo. O glúteo mínimo tem ação parecida. O tensor da fáscia lata auxilia na estabilização de pelve/fêmur e também fêmur/tíbia.

O glúteo máximo é um extensor e o iliopsoas um flexor da articulação coxofemoral, estão situados em plano diferente do necessário para a estabilização lateral do quadril.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: A

Alternativa que indico após analisar: A

VUNESP – IAMSP/HSPE 2011 – Questão 42

42. Na reabilitação do ombro, tanto a amplitude de movimento passiva como a ativa são de extrema importância. Considerando o movimento ativo de abdução do ombro, assinale a alternativa que representa os músculos essencialmente envolvidos na amplitude de 0 a 90°.

(A) Deltoide e trapézio.

(B) Deltoide e serrátio maior.

(C) Supraespinal e trapézio.

(D) Supraespinal e serrátio maior.

(E) Deltoide e supraespinal.

i42

Essa é fácil. De forma geral, podemos dividir as ações musculares do ombro em três amplitudes principais para abdução. Lembrando sempre que nenhum músculo trabalha isoladamente, e que o movimento articular voluntário é sempre resultado de uma ação coordenada de agonista, antagonista, estabilizadores e sinergistas.

Podemos dividir a abdução do ombro em 3 tempos.

No primeiro tempo, até 90º de ADM, os músculos principais agonistas são o deltoide e o supraespinhoso.

No segundo tempo, de 90º a 150º, os músculos principais agonistas são o trapézio e o serrátil anterior.

No terceiro tempo, de 150º a 180º, há a participação dos músculos paravertebrais. Se apenas um ombro está em abdução acima de 150º ocorre inclinação lateral na coluna por contração unilateral dos paravertebrais. Se os dois ombros entram em abdução acima de 150º ao mesmo tempo, ocorre um lordotização ou diminuição da cifose vertebral.

Alternativa assinalada no gabarito da banca organizadora: E

Alternativa que indico após analisar: E